Arquivo - Rodovias sob concessão no Estado terão mutirões amanhã

Foto: Arquivo - Rodovias sob concessão no Estado terão mutirões amanhã

Sem criadouros

Artesp realiza mutirão de combate à dengue

  • 12/02/2019 07:29
  • Da Redação

Desde ontem, as concessionárias de rodovias paulistas realizam ações integradas ao Programa Estadual de Combate à Dengue. O ponto alto da campanha será amanhã, com a organização de um mutirão para recolher lixo e eliminar focos de larvas do mosquito da dengue, zika e chikungunya ao longo das rodovias. Até domingo, nos 8,4 mil quilômetros de rodovias que alcançam 272 municípios, serão distribuídos folhetos educativos da campanha nas praças de pedágio e, ao longo das rodovias, os letreiros eletrônicos trarão frases orientativas sobre o combate ao mosquito da dengue.

Segundo dados da Secretaria de Estado da Saúde, em janeiro foram 4.595 casos confirmados de dengue, sendo que 10 cidades concentram 77,4% dos registros e somam 3.507 casos. A campanha nas rodovias concedidas é coordenada pela Artesp (Agência de Transporte do Estado de São Paulo) e será reforçada com posts informativos nas redes sociais.

As concessionárias já têm equipes que fazem o trabalho de recolhimento de detritos nas rodovias regularmente, sendo que, em 2018, foram retiradas 20,5 mil toneladas, além de outros 14 mil m³ de lixo das rodovias. Com o mutirão incentivado pela Artesp, o trabalho será intensificado para eliminar possíveis criadouros do mosquito e também conscientizar os usuários das rodovias sobre o descarte irregular de lixo na estrada. Serão mobilizados voluntários de todas as áreas das concessionárias para ampliar o alcance da operação. No último mutirão da Dengue organizado pela Artesp, em parceria com as concessionárias, foram recolhidas 50 toneladas de lixo.

Além de formar focos de larvas do mosquito da dengue, o descarte de lixo nas rodovias também acarreta problemas de segurança viária. Os materiais mais recolhidos são papel, garrafas plásticas, latas de alumínio e restos de pneus. Mas há também restos de móveis como sofás, mesas, cadeiras e até geladeiras velhas, além de resíduos de construção civil, entre outros materiais.

Com AI da Artesp