Arquivo - Rodrigo Takahashi, conhecido como Bô, teve a chance de já estrear na equipe principal nos dois últimos jogos

Foto: Arquivo - Rodrigo Takahashi, conhecido como Bô, teve a chance de já estrear na equipe principal nos dois últimos jogos

TALENTO PRUDENTINO

Bô Takahashi é o 6º brasileiro a chegar a Major

No último fim de semana, Arizona Diamondbacks, time ao qual o jogador pertence, anunciou no Twitter a promoção à equipe principal do clube; estreia ocorreu domingo

  • 20/08/2019 05:01
  • THIAGO MORELLO - Da Redação

Às 15h07 (horário de Brasília), 18 de agosto de 2019, domingo. Pra alguns, essa pode ser apenas uma simples informação temporal. Mas foi nesse momento, que o sonho do jogador de beisebol prudentino, Rodrigo Takahashi, o Bô, se tornou público. Arremessador pelo Arizona Diamondbacks, ele foi anunciado e confirmado no Twitter oficial da equipe como o próximo nome a chegar ao time principal do clube. A marca fez com que ele se tornasse também o primeiro nascido brasileiro a vestir tal uniforme do D-backs e o sexto brasileiro a chegar à MLB (Major League Baseball).

No Twitter, o Arizona Diamondbacks deixou a seguinte mensagem: “The first Brazilian-born player to don the #Dbacks uniform and the 6th to reach the Majors, @botakahashi has made it to The Show! #RattleOn”. Na tradução, a mensagem confirma que ele é o primeiro jogador nascido brasileiro a vestir o uniforme oficial do D-backs e o sexto a entrar para a Major.

“Ele me ligou às 2h da manhã no domingo, lá de Jackson [cidade localizada no estado norte-americano de Tennessee, no Condado de Madison], me comunicando: ‘Pai, eu fui chamado para fazer parte da equipe principal do Arizona. Conversamos bem pouco’”. Sendo o primeiro a receber as boas novas, foi dessa forma que ocorreu e dessa maneira que a emoção tomou conta, como detalha Mario Kaneki, pai do jogador e técnico de beisebol da Acae (Associação Cultural, Agrícola e Esportiva).

Aliás, essa referência familiar é também de onde vem boa parte da influência, para não dizer toda. “O Rodrigo sempre foi muito determinado e esforçado. A gente viu isso desde pequeno. Aos 5 anos de idade, ele já começou a relação com o esporte, de forma natural também. Eu tive o prazer de conseguir repassar para ele tudo o que aprendi”, conta Kaneki. E com isso, ele inclui pelo menos a parte fundamental, pensando no desenvolvimento da técnica, psicológico, corpo, enfim.

O que faz com que todo o mérito seja do jogador, pela forma que sempre batalhou para chegar até lá. Isso também é reforçado pelo pai de Bô, que destaca o fato dele ser sempre “focado e ter treinando muito” para esse momento. “Ele sempre me dizia: ‘Pai, para os EUA [Estados Unidos da América] eu vou até de graça’. Então eu falava pra ele que o esforço é o que vale. E para mim, vê-lo crescendo, ver como hoje ele está bem e jogando firme pelo Arizona Diamondbacks, é muita emoção”, felicita.

No domingo mesmo, Rodrigo teve a chance de já estrear na equipe principal, uma vez que o D-backs enfrentou o San Francisco Giants, mas não jogou. Ontem, a chance também poderia ocorrer, em partida contra o Colorado Rockies. O confrontou iniciou por volta das 20h, no Estado de Colorado, e transmitido ao vivo no Brasil por volta das 22h40, por conta do fuso horário.

Campanha

Segundo o site The Playoffs, o arremessador destro fazia parte do time de Double-A dos D-backs, o Jackson Generals, e não tem sequer experiência de Triple-A, o que chama a atenção. “Takahashi tem 22 anos e está no sistema dos D-backs desde 2014, sempre tratado com um bom valor dentro da organização durante sua carreira nas ligas menores. Na temporada no Double-A, o brasileiro fez 21 partidas, todas como arremessador titular, porém, a princípio, ele deve fazer parte do bullpen em Arizona”, completa. Bullpen é o termo para designar os arremessadores não titulares.

Major League Baseball

A MLB, a nível Brasil, é o principal programa de beisebol amador. Todos os anos, a academia seleciona os 12 melhores jogadores do país para serem patrocinados e participar de treinamentos, com a chance de melhorarem seu desempenho e se tornarem atletas profissionais.

Desde 2011, ano em que o projeto teve início, seis talentos brasileiros foram revelados, no entanto, Bô nem chegou a participar do acompanhamento no Brasil, que ocorre no CT (Centro de Treinamento) de Ibiúna (SP). Ele foi chamado para ir direto para os EUA, como narra o pai dele.

Antes dele, Yan Gomes, André Rienzo, Paulo Orlando, Luiz Gohara e Thyago Vieira tiveram essa experiência, e apenas Gomes está atualmente jogando, pelo Washington Nationals, como informado pelo The Playoffs.