Bombeiro acompanha parto por atendimento telefônico

Soldado Fabrício Gonçalves Vilerá foi surpreendido por um pai em desespero que, do outro lado da linha, assistia a mulher entrar em trabalho de parto dentro de casa

PRUDENTE - ROBERTO KAWASAKI - Da Redação

Data 14/09/2019
Horário 11:00
Roberto Kawasaki - Era início do plantão, quando Vilerá atendeu ao chamado Foto: Roberto Kawasaki - Era início do plantão, quando Vilerá atendeu ao chamado

O plantão havia acabado de começar. Logo na primeira ligação do dia, um chamado de emergência aproximaria duas famílias, até então, desconhecidas. No Cobom (Centro de Operações do Corpo de Bombeiros), o soldado Fabrício Gonçalves Vilerá foi surpreendido por um pai em desespero que, do outro lado da linha, assistia a mulher entrar em trabalho de parto dentro de casa. “Ele disse que naquele momento já estava vendo a cabeça da criança. Então, ensinei os procedimentos para que fizesse o amparo do parto e recepcionasse a criança”, explica.

O fato ocorreu em junho. A reportagem ouviu o áudio de gravação da ligação e notou a calma do profissional para executar o apoio, o que deixou a situação controlada. Enquanto o procedimento era feito, o resgate do Corpo de Bombeiros já estava a caminho da casa da família, em Santo Anastácio. “Foi a primeira vez que acompanhei um parto por telefone, e é muito gratificante pra gente que trabalha diariamente com desastre”, afirma o soldado.

Tamanha a gratificação, que Vilerá foi convidado a ser padrinho de batismo da criança. Inclusive, fez questão de realizar um encontro entre as duas famílias semanas depois que o bebê veio ao mundo. “Ele se tornou parte da minha família”, afirma Marcelo Alves de Freitas, 30 anos, pai da pequena Ana Clara, que nasceu com o auxílio do soldado.

Por coincidência, o nome da criança é o mesmo da filha do bombeiro, o que chamou a atenção. “Minha esposa está bem feliz e toda a família também. Se não fosse pela ajuda dele, a situação poderia ficar fora de controle”, afirma.

Veja também