Publicidade
eixosp

Bombeiros capturam jiboia no Parque do Povo

Animal foi resgatado no cruzamento entre a Avenida da Saudade e 14 de Setembro; corporação recebeu diversos chamados de pessoas que viram a serpente

PRUDENTE - ROBERTO KAWASAKI

Data 20/05/2020
Horário 10:24
Corpo de Bombeiros - Animal foi levado para a sede da corporação, no Jardim Colina Foto: Corpo de Bombeiros - Animal foi levado para a sede da corporação, no Jardim Colina

Na tarde de ontem, uma jiboia foi capturada no Parque do Povo, em Presidente Prudente. O animal foi visto nas imediações entre a Avenida da Saudade e Avenida 14 de Setembro.

De acordo com o 14º GB (Grupamento de Bombeiros), o Cobom (Centro de Operações do Corpo de Bombeiros) recebeu diversas chamadas telefônicas de pessoas informando que o animal teria sido visto no local no cruzamento entre as avenidas.

Os telefonemas ocorreram por volta das 14h.

Diante disso, a equipe de prontidão compareceu ao endereço para verificar as denúncias. No local, encontraram o animal, identificado como uma jiboia, de aproximadamente 1,5 m. 

A cobra foi levada à sede da corporação, no Jardim Colina. Conforme o Corpo de Bombeiros, na sequência, a serpente foi entregue à Polícia Militar Ambiental.

De acordo com a 3ª Companhia do 2º Batalhão de Polícia Ambiental, o animal será devolvido ao seu habitat natural, provavelmente, no Rio Paranapanema.

ENCONTRAR JIBOIA

É COMUM NA REGIÃO

O ambientalista e presidente da Apoena (Associação em Defesa do Rio Paraná, Afluentes e Mata Ciliar), Djalma Weffort, explica que a jiboia é uma espécie nativa que cujo habitat é a área de mata. “Expansão urbana e queimadas podem fazer com que ela se desloque para outras áreas”, afirma.

De acordo com o Djalma, a serpente pode ser encontrada com bastante frequência na região, mas que não é uma cobra venenosa e possui característica dócil, apesar da aparência.

“É importante ressaltar que quando as pessoas se depararem com uma jiboia, nunca perseguir ou matar, porque são espécies úteis para a natureza e um componente importante na cadeia alimentar”, explica o ambientalista.

“Ela não representa perigo e não ataca, a não ser para se defender quando se sentir ameaçada”. Quando encontrar qualquer animal que ofereça risco, é importante acionar o Corpo de Bombeiros ou a Polícia Militar Ambiental.

Veja também