Carreira em prol dos animais

Advogado Lucas França Bressanin se emprenha à causa, ajuda na adoção desses animais e também em problemas jurídicos

  • 24/11/2019 06:08
  • PEDRO SILVA - Especial para O Imparcial

Muitas pessoas encontram animais em situação de rua e têm vontade de ajudar. Alguns dedicam sua vida e profissão para melhorar a vida dos companheiros de quatro patas. O advogado Lucas França Bressanin se emprenha à causa, não só resgatando e ajudando na adoção desses animais, mas também em problemas jurídicos.

Dedicando sua formação em Direito, Lucas, é presidente da comissão de proteção dos animais e ativista pela causa há 12 anos. “Desde criança, minha família me levava em zoológicos, locais que hoje em dia eu discordo de existir. E, desde então, eu me encanto por animais”, comenta Lucas. O advogado foi um dos responsáveis pela deflagração e condução da ação que salvou 23 animais de uma chácara em Presidente Prudente, que estavam em situação de abandono, presos em caixas, algumas até mesmo pregadas. Todos os animais foram levados a um abrigo em Martinópolis e hoje estão esperando adoção, bem cuidados e no abrigo. Lucas já não tem mais noção de quantos animais já ajudou, sendo resgatando ou atuando juridicamente em casos de maus tratos.

“Até um cavalo eu já resgatei. Me ligaram dizendo que o animal tinha caído em um córrego e não andava. Conseguimos tirar ele de lá e eu levei ao veterinário. Atualmente, ele está bem, em um sítio de um amigo”, conta o profissional. Assim como o cavalo, os cães ajudados por ele recebem atendimento veterinário, um abrigo provisório e são postos a adoção. “Tem gente que me chama de Luiza Mel de Prudente”.

Normalmente, o advogado divulga os animais que precisam de um lar pelas mídias sociais e após o interesse manifestado, vai até o local e somente se existirem condições para que o animal esteja bem, a adoção procede. Depois, ele acompanha durante um período o responsável pela ação.

Lucas realiza essas ajudas por meio de doações e parcerias com veterinários. “Há poucas políticas públicas. Se a população não apoiasse essas causas, teríamos problemas de saúde. Na verdade, já estamos tendo”.

“Para quem abandona, saiba que isso é crime e você vai ser penalizado. Não existe necessidade de você abandonar, é só dar para a adoção, sem gerar problemas. Pense que os animais não conseguem viver ser auxílio. Nós domesticamos eles, temos responsabilidade”, finaliza Lucas.