Pedro Silva - Alunos do Cidadescola participam ontem de várias atividades, uma delas na Horta Municipal

Foto: Pedro Silva - Alunos do Cidadescola participam ontem de várias atividades, uma delas na Horta Municipal

DE OLHO NO FUTURO

Cidadescola atende 2,2 mil crianças em Prudente

Comemorando 9 anos de implantação, programa ensina artes, música, trabalhos manuais, artesanato e modalidades esportivas para alunos do ensino municipal

  • 20/08/2019 06:29
  • PEDRO SILVA - Especial para O Imparcial

No dia 17 de agosto de 2010, foi instituído em Presidente Prudente o Programa de Ensino Integral Cidadescola. No inicio, a ideia abrangia nove escolas, hoje são 30, atendendo 2,2 mil crianças. Com o intuito de inserir os estudantes do ensino fundamental em áreas da cultura, esporte e até gastronomia, a iniciativa tem um modo diferenciado de muitos projetos - que geralmente apenas aumentam a carga horária dentro das instalações de ensino - levando os alunos para vários locais da cidade, como o Centro Cultural Matarazzo, Sesi (Serviço Social da Indústria), Fundação Inova Prudente, Horta Municipal, Edesp (Escola de Desenvolvimento Social do Estado de São Paulo), Unoeste (Universidade do Oeste Paulista), Complexo Turísitco Cidade da Criança e Praças da Juventude.

As atividades mudam a vida das crianças, e, segundo a diretora do Cidadescola, Isabel Cristina Arcanjo Riqueti, o objetivo é que, a partir das atividades, os estudantes possam refletir sobre vários temas. “Essas atividades fazem muita diferença na vida das crianças, e nós, enquanto adultos, entendemos que elas vão carregar isso, pois estamos trabalhando com a cidadania delas”.

Na manhã de ontem, na Horta Municipal, foi comemorado os nove anos do projeto. A escolha do local não foi ao acaso. “Estamos comemorando aqui, hoje, porque entendemos que, assim como ocorre com a natureza, aquilo que você planta, você colhe, nós entendemos que o Cidadescola é uma semente que nós plantamos no ano de 2010, e que vai crescer, e já está dando frutos”, diz a diretora. Isabel também explicou o nome da iniciativa. “Por que Cidadescola? Porque nós entendemos que Prudente é uma escola, em todos os espaços”. E completa: “Por meio do programa, sentimos uma mudança nas crianças, até mesmo na frequência escolar. Elas faltam menos, porque gostam das atividades”.

Festa

Aniversário é sinônimo de festa. Os alunos, após a atividade de colheita na horta, ganharam uma festa surpresa em comemoração a mais um ano do projeto. Um bolo com a vela “9” foi compartilhado com as crianças presentes. A secretária municipal de Educação, Sônia Maria Pelegrini, explica que o corte de verbas por parte do governo federal, fez com que a administração municipal precisasse “se reinventar”, pois agora várias secretarias da cidade colaboram com o programa para educar da melhor maneira possível os estudantes da rede.

“O prefeito [Nelson Roberto Bugalho (PTB)] determinou que as secretarias se reunissem para o que era possível fazer, e nós conseguimos resolver o problema da falta de verba do governo federal, somente com essa união”, explica. “Nós reinventamos o programa nessa gestão, pois nós acreditamos muito na formação das crianças de forma integral, não só pela questão de tempo, ela pode fazer a diferença na formação das crianças”. “Esse é o melhor investimento que um gestor pode fazer em função da formação de um cidadão”.

Música

Toda festa boa tem música, e nessa também não faltou. Os estudantes que estavam presentes na festividade ouviram os professores que ensinam música no programa. Foram executadas releituras de músicas populares e clássicas do rock. Matheus Araujo, 18 anos, estudante de Engenharia Civil, é fruto do Cidadescola e hoje é professor do projeto. Ele conta que ao ser apresentado à música, no primeiro ano do programa, ele se apaixonou imediatamente pela arte. “Ele [programa] renovou minha vida, e hoje eu consigo trabalhar dentro dele, é muito legal”, comenta o estudante. Ao ser questionado sobre o que ele faria se não tivesse se inserido na iniciativa, ele responde sem pensar: “Não tenho ideia, eu seria alguém totalmente aleatório, que eu nem consigo imaginar”. Matheus contou sua trajetória desde que saiu do programa, ao terminar o ensino fundamental, até hoje, quando ensina música para os novos participantes da inciativa.

Os professores de trompete, Maurilio Teles, e canto coral, Thiago Silva Rocha, do Cidadescola, trabalham principalmente a técnica e a teoria das músicas. Com duas horas de aula, eles ministram noções musicais, e apresentam estilos como jazz e blues. “É uma grande responsabilidade, pois nós trabalhamos com uma faixa etária que está na formação do caráter”, comenta Maurilio. “Às vezes, alguns deles – alunos – vêm de casa sem uma base familiar, e aí você vê o trajeto deles mudando, é incrível como a música muda a trajetória deles”, pontua Thiago. Os dois declaram o projeto como “extremamente importante, não só para as crianças, mas para toda a sociedade”.

Horta

Antes da comemoração, era hora de ensino. O professor Everaldo Aparecido Gonçalves estava ensinando a importância da paciência, do cuidado, e principalmente no empenho às atividades. A horta, plantada e cuidada pelos alunos, dispõe de cebolinha, açafrão e alfaces. As crianças colheram as hortaliças que já estavam prontas e foram frutos de seu duro trabalho, vários pés de alface e também muitas folhas de açafrão.