Reprodução/Internet - Portal Observatório do Crack disponibiliza informações de 23 cidades da região

Foto: Reprodução/Internet - Portal Observatório do Crack disponibiliza informações de 23 cidades da região

OBSERVATÓRIO DO CRACK

CNM faz análise do consumo de drogas na região

Relatório traz dados de 23 das 53 cidades regionais e suas situações frente aos problemas relacionados ao uso de entorpecentes

  • 23/02/2020 04:01
  • GABRIEL BUOSI - Da Redação

Das 53 cidades da região de Presidente Prudente, 23 delas (43,39%) foram mencionadas no relatório intitulado de Observatório do Crack, disponibilizado pela CNM (Confederação Nacional dos Municípios), e que analisa a situação do consumo da droga em todo o país. O levantamento aponta que 7 das 23 cidades (30,43%) são classificadas no nível alto para os problemas relacionados ao consumo de droga, nível que tem cinco classificações.

O observatório revela, sobre as 23 cidades, que elas são distribuídas da seguinte forma, além das sete que estão dentro do nível alto: nove municípios (39,13%) classificados no nível médio; três (13,04%) no nível baixo; outras três (13,04%) que não constaram problemas; e uma (4,34%) que não teve resultados divulgados. Os problemas específicos não foram divulgados pelo observatório, mas a CNM revela, sobre a metodologia, que disponibiliza um questionário online para que um responsável indicado pela municipalidade responda às perguntas disponíveis. Desta forma, o nível é feito com base em tais questionamentos.

CONSUMO RETRATA

PROBLEMAS SOCIAIS

Para o sociólogo Heitor Ribeiro, vale analisar o tamanho das cidades, visto que possivelmente as maiores são as que possuem também os maiores problemas. Além disso, o especialista expõe que a desigualdade social tem ligação com tais situações e ressalta que tais números são importantes para estimular políticas públicas. “Na verdade, o cenário é até positivo, já que em 2017 constavam nove cidades – duas a mais – no índice considerado alto”. À época, a informação foi veiculada por este diário.

Ainda conforme Heitor, o consumo de drogas revela problemas sociais, como desigualdade, desemprego e falta de oportunidade, que são portas para as drogas lícitas e ilícitas. Para ele, as políticas públicas vão desde a prevenção até o tratamento. “O Brasil ainda faz a ‘luta contra as drogas’ prendendo quem porta drogas ou ‘espantando’ usuários de regiões. Este caminho por si só não resolve o problema”.

VISÃO LOCAL DAS

MUNICIPALIDADES

A Prefeitura de Presidente Epitácio, que se enquadra no nível médio, questionada sobre a situação apresentada, assegura que os dependentes químicos que buscam ajuda para se verem livres dos vícios têm total apoio e são direcionados para atendimento multidisciplinar. “As consultas ocorrem no PAI [Polo de Atenção Intensiva em Saúde Mental] em Presidente Prudente, todas as quartas-feiras, às 17h”. O atendimento, conforme a municipalidade, é humanizado e realizado por uma equipe composta por psiquiatra, psicólogos e médicos.

Hoje, além da internação por interesse do dependente, a Prefeitura conta ainda com a internação compulsória, quando a pessoa é submetida ao tratamento mesmo sem ter solicitado ajuda. “Tudo isso afim de que nossos munícipes possam se ver livre das drogas”. A cidade, desde 2017, conta com o Caps (Centro de Atendimento Psicossocial), que acolhe pacientes com dependência química e oferece todo tratamento e apoio necessário. “Apesar de o índice relatado com relação aos dependentes químicos de nosso município, trabalhamos incansavelmente para que essa situação possa evoluir dia após dia”.

Já Presidente Venceslau, por meio de nota, informou que a situação do município – nível ato – é um reflexo do que “se vê no país”, já que analisa o consumo de drogas como desenfreado, mesmo com ações voltadas para orientações. “Se trata de uma questão de saúde pública. Oferecemos assistência aos vulneráveis, inclusive com internações em clínicas especializadas”.

Mapa do Crack na região
Município Situação  Nível
Enfrenta problemas com a circulação de drogas? Enfrenta problemas relacionados ao consumo de drogas? Possui Cras? Nível dos problemas relacionados ao consumo de crack
Caiabu Sim Sim Sim Médio
Dracena Sim Sim Sim Alto
Emilianópolis Sim  Sim Não há dados Sem problemas
Euclides da Cunha Paulista Sim  Sim  Sim Médio
Flórida Paulista Sim Sim Sim Médio
Iepê Sim Sim Sim Alto
Irapuru Sim Sim Sim Médio
Lucélia Sim Sim Sim Baixo
Martinópolis Sim Sim Sim Alto
Mirante do Paranapanema Sim  Sim Não há dados Médio
Nantes Sim Sim Sim -
Narandiba Sim Sim Sim Médio
Osvaldo Cruz Sim  Sim Não há dados Alto
Pacaembu Sim Sim Sim Alto
Pracinha Sim  Sim Não há dados Sem problemas
Presidente Bernardes Sim Sim Sim Médio
Presidente Epitácio Sim  Sim Não há dados Médio
Presidente Venceslau Sim Sim Sim Alto
Regente Feijó Sim Sim Sim Médio
Ribeirão dos Índios Sim Sim Sim Baixo
Rosana Sim Sim Sim Sem problemas
Santa Mercedes Sim Sim Sim Baixo
Santo Anastácio Sim Sim Sim Alto
Fonte: CNM