Crianças conhecem o atletismo através de vivência

Festival Vida e Saúde Kids proporcionou para a maioria dos alunos o primeiro contato com a modalidade, no Centro Olímpico de Presidente Prudente

- WEVERSON NASCIMENTO - Da Redação

Data 25/04/2019
Horário 06:21
Weverson Nascimento - 150 crianças do Programa Cidadescola participaram de práticas relacionadas ao atletismo Foto: Weverson Nascimento - 150 crianças do Programa Cidadescola participaram de práticas relacionadas ao atletismo

Ontem cerca de 150 crianças do Programa Cidadescola participaram de práticas relacionadas ao atletismo no Centro Olímpico de Presidente Prudente, como corrida, arremesso de peso, salto em distância e revezamento. Promovido pelo Projeto Talento Olímpico, Semepp (Secretaria Municipal de Esporte) e Lions Club Centenário Presidente Prudente, o Festival de Atletismo Vida e Saúde Kids proporcionou para a maioria dos alunos o primeiro contato com a modalidade. Ao final, todos receberão medalhas de honra ao mérito.

Segundo o medalhista olímpico e títular da Semepp, Claudinei Quirino da Silva, 48 anos, a importância é despertar o atletismo nas crianças. “O mais importante é a participação das crianças, ou seja, que elas possam vivenciar os esportes e ao final saírem campeões com medalhas de ouro”.

Segundo a coordenadora do projeto, Flávia Elisabeth Palma, 36 anos, o Talento Olímpico está vigente em Prudente há oito anos em parceria com a educação municipal, e ao todo oito escolas recebem as ações esportivas. “O projeto atende cerca de 900 crianças e nosso foco é o atletismo base de iniciação”, explica. Após o Festival, todos os alunos receberam medalhas de participação e se deliciaram com pipocas, lanches e refrigerantes.

Vivência

Os alunos convidados para vivenciar as atividades fazem parte da Escola Municipal Padre Emílio Becker, de Prudente, com faixa etária dos 7 aos 12 anos. A estudante Raquel Rainho Malaguti, 9 anos, participou pela primeira vez da atividade. “É muito legal e divertido, eu nunca tinha feito desta forma, somente na escola mas com algumas adaptações”, relata.

A oportunidade de vivenciar a prática do esporte é algo que despertou a curiosidade dos pequenos que só tinham visto o atletismo através da TV. “Eu já tinha visto pela TV e não sabia que aquelas atividades que eu fazia na escola eram parecidas com este esporte”, diz a estudante Maria Clara Silva Gerônimo, 8 anos.

A pequena Tauane Vitória de Lima Orlandi, 9 anos, diz que já participou de algumas atividades como o salto em distância, mas que não foi na areia. “Hoje é bem legal porque temos essa oportunidade e tem gente que saltou muito longe e as que não conseguiram foram treinando”, afirma.

A coordenadora do projeto diz que a sensação que fica após a manhã diferente com as crianças é de dever cumprido. “Os eventos sempre são feitos com muita dedicação e amor, por isso é muito gratificante ver a alegria das crianças que participam”. Já Claudinei Quirino comemorou mais uma edição do festival, principalmente por ter atingido crianças que não têm a vivência todos os dias.

Veja também