Publicidade
eixosp

Legislativo prudentino denuncia superlotação em linhas de ônibus

Situação encaminhada ao MPE, por ofício, também fala de problemas como falta de higienização, aglomeração e atrasos

PRUDENTE - THIAGO MORELLO

Data 21/05/2020
Horário 07:08
Câmara de Prudente - Vereadores registram superlotação em linhas de ônibus Foto: Câmara de Prudente - Vereadores registram superlotação em linhas de ônibus

A empresa responsável pelo transporte coletivo em Presidente Prudente, a Prudente Urbano, mais uma vez é alvo de reclamações em relação ao serviço prestado. Na recente ocasião, elas partiram do Legislativo da cidade, uma vez que a Câmara Municipal denunciou a superlotação em linhas, em ofício encaminhado ao MPE (Ministério Público Estadual).

No documento de seis páginas, protocolado na Promotoria, a casa de leis explica, dentre outras coisas, que as constatações vieram a partir de uma fiscalização realizada na manhã de ontem. A visita in loco nos veículos foi feita por alguns vereadores e veio em consequência da recente determinação da Justiça, na segunda-feira, a qual impôs que a empresa tivesse de disponibilizar a quantidade de veículos necessárias para atender a demanda em horários de pico.

Mas, além da superlotação, o Legislativo aponta outros problemas, como: dezenas de pessoas em pé e aglomeradas, “inclusive funcionários do setor da saúde”; relatos da falta de limpeza e higienização; e atraso das linhas de ônibus. Aliás, tais apontamentos são medidas a se evitar - no caso da falta de limpeza -, também determinadas pela Justiça na decisão de segunda-feira.

Para chegar a tal conclusão, os parlamentares fiscalizaram três ônibus, por volta da 7h. O documento foi assinado pelos vereadores Demerson da Silva (PSB), presidente da Câmara; José Geraldo de Souza, Geraldo da Padaria (PTB); e Mauro Neves (Podemos), e direcionado ao promotor Jurandir José dos Santos.

“PROVIDÊNCIAS

FORAM TOMADAS”

Já em nota, a Prefeitura informa que tomou todas as providências determinadas pela Justiça, cobrando da concessionária de transporte coletivo a ampliação do número de veículos em circulação e a implantação de álcool em gel nas entradas e saídas dos ônibus. “Fiscais da Semob [Secretaria Municipal de Mobilidade Urbana e Cooperação em Segurança Pública] estão acompanhando o fluxo de passageiros dentro dos coletivos e, se constatando lotação, irá notificar a empresa para que tome as providências cabíveis”, frisa.

A reportagem tentou falar com o promotor Jurandir, contudo, não obteve sucesso até o fechamento desta edição. A mesma situação ocorreu com a advogada e porta-voz da Prudente Urbano, Renata Moço.

Veja também