Foto: Cedida - Quarteto Lobo: ciclismo é tradição da família prudentina desde os anos 50

Foto: Foto: Cedida - Quarteto Lobo: ciclismo é tradição da família prudentina desde os anos 50

CICLISMO NA VEIA

Lobo’s estão no 34º torneio de Verão de Ilha Comprida

Quatro ciclistas da família pedalam na tradicional prova, da 34ª  edição do torneio de Verão de Ciclismo, nas categorias Elite, Sênior B, Master A e B; expectativa de pódios

  • 14/02/2020 04:00
  • OSLAINE SILVA - Da Redação

Mais uma vez quatro ciclistas da equipe Pastorinho/Liane/Semepp/Lobo Fitness, que contam com o apoio de Jaime Carburadores, levam o nome de Presidente Prudente para uma competição importante. Trata-se da tradicional prova da 34ª  edição do torneio de Verão de Ciclismo, de hoje a domingo, na cidade de Ilha Comprida (SP). São eles Caique Damasceno Lobo, 26 anos, que vai correr na categoria Elite; Almir Rogério Alves Lobo, 43, no Sênior B; Mauricio Alves Lobo, 52 – Master A e Deoclécio Ferreira Lobo, 71, – Master B. Ou seja, a família que tem o ciclismo correndo nas veias há mais de 50 anos. 

Maurício, por exemplo, que é pai de Caíque, resolveu ir de última hora, pois estava com uma cirurgia, meio que urgente marcada. Pois é, remarcou só para participar do torneio. Ele expõe que esta prova é válida para o ranking brasileiro onde estão os melhores atletas do país

“Na Elite, por exemplo, estão os feras. O Caíque tem esperança de beliscar um pódio entre os cinco, quem sabe. Acho difícil por ele correr sozinho enquanto que tem equipes formadas com cinco até oito atletas. As menores equipes vêm com quatro, três ciclistas. Mas, como ele é focado, treinou bastante, a gente tem esperança de que vai fazer um bom resultado”, exalta o pai.

 

DE OLHO EM MAIS

UM PÓDIO NO TORNEIO

Segundo Maurício, seu irmão Almir Lobo é bicampeão do torneio, já foi vice-campeão, além de sempre garantir uma terceira, quarta, quinta colocação. Ou seja, tem chances reais de pódio. “E ele está focado em conquistar uma medalha. Mas, é a mesma situação de dificuldade, corre sozinho. O tio Deoclécio, também tem chances. Eu vim só para participar mesmo. Desde os anos 50 nossa família é tradição no ciclismo. Deixamos tudo para traz, trabalho, negócios, família para competir. Tem que gostar muito! Saímos de casa às 5h, chegamos às 16h. Hoje [ontem] estamos dando uma rodada para conhecer o circuito [de rua] e nos prepararmos, pois é desgastante. Contudo, vibrante”, acentua o experiente ciclista prudentino.

 

DEIXAMOS TUDO PARA TRAZ, TRABALHO, NEGÓCIOS, FAMÍLIA PARA COMPETIR. TEM QUE GOSTAR MUITO!

Maurício Lobo