Nebulização é importante, mas não basta

EDITORIAL -

Data 20/05/2020
Horário 04:25

Diante do crescimento contínuo de casos de dengue em Presidente Prudente, a Prefeitura iniciou os trabalhos de nebulização ambiental nos bairros da cidade. Na semana passada, foram contemplados a Vila Geni, Cidade Jardim e jardins Europa e Paulista, entre as ruas Guatemala, Borba Gato, Doutor Francisco Morato de Oliveira, Bertioga e Avenida Washington Luiz. Já nesta semana, recebe o serviço a área 5, a centro norte, formada pelas vilas Rosa, Santa Tereza, Bosque da Saúde, Prudente, Dubus e Machadinho, além do bairro Residencial.

O procedimento visa minimizar o avanço da dengue no município, considerando que, de acordo com balanço divulgado na edição de ontem deste periódico, a VEM (Vigilância Epidemiológica Municipal) contabiliza 3.298 registros positivos. Além disso, há outras 1.789 notificações em investigação, ou seja, casos aguardando resultados ou para serem concluídos, faltando a coleta da sorologia ou conclusão da ficha do paciente.

Cabe ressaltar, no entanto, que a medida, apesar de efetiva, só elimina o Aedes aegypti adulto. Desta forma, o trabalho realizado em parceria com a Sucen (Superintendência de Controle de Endemias) depende diretamente da colaboração da comunidade para que as larvas do mosquito sejam eliminadas completamente e, desta maneira, não atinjam a fase adulta. Isso é reflexo de ações preventivas promovidas pelo cidadão dentro de sua própria casa, a começar pela limpeza de recipientes que acumulem água e possam servir como criadouro para o vetor da doença.

Mais do que nunca, a parceria entre o poder público e a população se faz necessária para amenizar um problema de saúde pública grave no país. A dengue, além de debilitar a saúde dos pacientes infectados, pode levar o indivíduo a óbito. É importante mencionar ainda que, diferente de outros vírus que tornam o organismo imune a eles após a primeira infecção, a dengue é reincidente, de modo que uma mesma pessoa pode voltar a contraí-la mais vezes depois da primeira infecção.

A proliferação do Aedes e o aumento das notificações de infecções só serão minimizados se perdurar a consciência de todos quanto à importância de manter quintais, terrenos baldios, áreas verdes e fundos de vale, entre outros espaços urbanos, devidamente limpos e conservados, o que é certamente possível se houver a união de esforços em direção a esta finalidade e visando uma cidade mais limpa e saudável para todos que nela coabitam.

Veja também