Nem lacuna de 29 anos pode romper vínculo materno

  • 07/11/2019 04:06

Parece roteiro de filme, mas aconteceu em Junqueirópolis. Após 29 anos, filha e mãe enfim se encontraram com a ajuda da Polícia Civil. Moradora de Curitiba (PR), Josiane de Souza nunca havia visto ou falado com sua mãe biológica. E isso só veio ocorrer agora, pois aquela que a adotou como filha revelou sua trajetória às vésperas de seu falecimento.

Com o segredo revelado, Josiane tomou conhecimento que havia sido “doada” à mãe adotiva em Junqueirópolis, em 1990. Decidida a encontrar a mãe biológica, a moradora do Estado vizinho procurou pela Delegacia de Polícia do município da região para contar sua história e buscar por auxílio.

Afinal, muito mais do que combater a criminalidade, os policiais estão preparados para ajudar a comunidade em outras situações, como a acima relatada. Neste caso específico, a Polícia Civil conseguiu obter documentos médicos da época do nascimento da “protagonista” desta história da vida real, bem como identificar testemunhas sobre os fatos ocorridos. Desta forma, a mãe biológica de Josiane também foi identificada - atualmente, ela mora em Marília (SP) - e o sonho da filha em conhecê-la realizado.

As duas se encontraram no dia 1º de novembro, na sede da Delegacia de Polícia Civil em Junqueirópolis. A emoção, claro, tomou conta do local. O mais incrível é que, além da notória semelhança física, elas têm uma tatuagem idêntica no pulso esquerdo. Quem poderia explicar tamanha coincidência? A mãe biológica revelou à Josiane as razões compreensíveis que a levaram a abrir mão de ficar com ela. Com certeza, um grande vazio deve ter ficado no seu peito durante essas quase três décadas.

A vida é um sopro. Tomara que mãe e filha consigam restabelecer o vínculo outrora desfeito. Que nenhuma mágoa ou ressentimento seja capaz de abalar o laço entre as duas. Histórias como a de Josiane refletem a efemeridade da vida. Muitas vezes, aquilo que acreditamos ser a verdade absoluta deixa de fazer sentido. E é preciso recomeçarmos do zero – ou somarmos novas experiências a capítulos já vivenciados. Mas, o mais importante é seguir em frente! Com paz na mente e no coração!