Peregrinos relatam histórias de fé e intercessão de Santo Expedito

Festa anual do padroeiro, realizada na cidade que leva o nome do santo, ocorreria hoje, mas foi cancelada devido à pandemia do novo coronavírus

VARIEDADES - WEVERSON NASCIMENTO - Da Redação

Data 19/04/2020
Horário 06:34
Cedida - Alderivan saiu de Fortaleza, para participar da peregrinação Foto: Cedida - Alderivan saiu de Fortaleza, para participar da peregrinação

Quem nunca precisou de uma graça urgente?  Para os católicos, a intercessão pode vir através de Santo Expedito, padroeiro conhecido pelas causas justas e urgentes. Aqui no interior de São Paulo, a pequena cidade que leva o nome do santo reúne todos os anos milhares de fiéis que saem em peregrinação, anualmente neste dia, seja para agradecimento ou indulgências ao martirizado. Conforme relatou este diário, neste ano a tradicional festa - que ocorreria hoje - foi suspensa devido à pandemia do Covid-19 e, para tanto, não receberá os seus devotos. No entanto, a reportagem conversou com alguns peregrinos que descrevem que nem mesmo o desgaste e a dor física são capazes que explicar a tamanha devoção que criaram pelo padroeiro.

Há mais ou menos 20 anos, a funcionária pública, Vânia Cabrera Meneguello, relata que não conhecia a existência do santo. No entanto, após o falecimento de uma tia em São Paulo, seguiu do interior até a capital paulista com alguns membros da família. Uma viagem segura, que de costume resulta em aproximadamente 620 quilômetros (km), proporcionou a despedida de alguém especial.

Com o fim do sepultamento, a família buscava retornar para a pequena cidade de Piquerobi, onde Vânia nasceu e cresceu. Mas, antes mesmo de sair da capital, uma avenida muito movimentada te proporcionaria uma grande experiência de fé. “No percurso, o carro quebrou a barra de direção, e no local, tinha um poste e uma loja de lustres. O motorista fez o que pôde, mas o carro estourou as rodas e parou centímetros da loja”. Após o susto, ela explica que desceu do carro e ligou para as irmãs para relatar o ocorrido e, que, enquanto caminhava, encontrou um papel a qual chutou, mas ali seria, se assim podemos definir, o seu primeiro contato de intercessão do santo. “Eu abaixei e peguei o papel. De um lado era uma oração e do outro a imagem de Santo Expedito”.

3 DIAS DE FÉ E

MUITA ORAÇÃO

Passados os anos, Vânia soube que a cidade que leva o nome santo padroeiro ficava a aproximadamente 80 km do município em que morava. “Neste período, eu também soube que tinha pessoas que caminhavam até Santo Expedito em agradecimento ou em busca de uma graça, foi quando me interessei e passei a ir também”. A funcionária pública se refere ao grupo de peregrinos de Caiuá, que realiza há 11 anos o que chamam de Caminhada com Fé. O roteiro inicia no município e, em grupo, seguem até Santo Expedito, com paradas e dormitórios preparados ao longo dos três dias.

“EU SÓ AGRADEÇO AO SANTO QUE INTERCEDE POR ONDE QUER QUE EU VÁ. MINHA GRAÇA RECEBIDA É TODOS OS DIAS ACORDAR E ESTAR VIVO”

Alderivan Saldanha Cavalcante

Neste ano, seria sua sétima participação na caminhada, no entanto, mesmo com a ausência da peregrinação, ela relembra que os três dias são regados de muitas orações, missas de cura e uma variedade de momentos. “Eu não sou nenhuma atleta, mas com certeza chega uma hora que Deus nos carrega no colo, pois mesmo diante da canseira, poeira e bolhas nos pés, a fé nos faz caminhar. Esse ano está tudo parado, mas eu continuo com muita fé em Santo Expedito que intercede por nós, pois o que vimos e sentimos nessa caminhada é inexplicável”.

SENTIMENTO É DE

ESPÍRITO RENOVADO

A peregrinação, inclusive, já ficou popular em todo o Brasil. No ano passado, este diário contou a história do fiel e autônomo, Alderivan Saldanha Cavalcante, que saiu de Fortaleza (CE) para participar da caminhada em Presidente Prudente. Na época, ele relatou que a viagem de 3.101 km era em agradecimento ao santo do hoje.

Em um novo contato entre a reportagem e o autônomo, ele descreve que a peregrinação te proporcionou o sentimento de espírito renovado. “Foi surpreendente! Uma sensação de felicidade e agradecimento em completar bema caminhada. O corpo sente o esforço, mas a fé supera tudo isso. Além disso, a caminhada me proporcionou ouvir testemunhos de amigos que eu fiz na região e que, inclusive, mantenho contato”.

Alderivan relata que o que levou ir a tão longe foi a fé. “Eu era uma pessoa muito descrente, nunca fui muito de igreja, mas foi acontecendo algumas coisas na vida e, por uma brincadeira, uma senhora me falou, ‘tenha fé que Santo Expedito vai te ajudar, pois ele é o santo das causas impossíveis’. De lá para cá, eu só agradeço ao santo que intercede por onde quer que eu vá. Minha graça recebida é todos os dias acordar e estar vivo”, destaca.

Foto: Cedida

Vânia participa há 7 anos da Caminhada com Fé de Caiuá

 

 

Veja também