Oportunidade

Projeto Guri seleciona jovem Prudente para o intercâmbio internacional Move

Karoline Ribas planeja levar seus conhecimentos sobre o samba para o Malawi e incentivar a participação feminina na música local

  • 01/08/2017 14:10
  • Da Redação

Seis jovens participarão do Move (Musicians and Organizers Volunteer Exchange), programa de intercâmbio para músicos criado pela organização parceira JM Norway e promovido no Brasil pela Amigos do Guri – uma das gestoras do Projeto Guri, considerado o maior programa sociocultural brasileiro, mantido pela Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo.  Os eleitos, Gabriel Fabiano dos Santos, Karoline Ribas, Renan Augusto Dias, Cintia Galan, Igor Crecci e Marcelo de Almeida Brito, foram selecionados para o programa na Noruega, Malawi e Moçambique.

Aos 22 anos, Karoline Ribas vive em Presidente Prudente e, atualmente, cursa arquitetura e urbanismo na Unoeste (Universidade do Oeste Paulista). Mas nunca conseguiu esquecer a música, um sonho de adolescente que ela retoma agora com a sua seleção para participar do intercâmbio musical no Malawi. Karoline estudou violino no Projeto Guri durante três anos. Depois disso, também se dedicou à viola caipira por dois anos e é mestre de bateria na faculdade onde estuda. Entre as motivações para participar do Move está o seu interesse em conhecer um país com idioma e música diferentes do Brasil. “Quero levar um pouco do que eu sei da música brasileira para eles, além de adquirir uma nova cultura e técnicas para carregar comigo para vida! Vou mostrar o samba e para isso pretendo levar tamborim, chocalho, ganzá, berimbau e talvez um pandeiro e viola caipira. Minha ideia é ensiná-los a tocar na velocidade do samba enredo e mostrar a técnica de emitir sons com as mãos na ausência de instrumentos”, disse ela. A jovem também pretende ajudar Gabriel dos Santos, outro dos brasileiros selecionados, em seu projeto de música para deficientes. A ideia da dupla é mostrar que todos podem aprender música.

No Malawi, mulheres não têm o costume de tocar instrumentos de percussão. Um dos objetivos do Ta Kagunda Project, desenvolvido pelo brasileiro Eduardo Scaramuzza, ex-intercambista e educador do Guri no Polo Nelson Mandela, é mudar essa mentalidade e aproximar as meninas dessa sonoridade. Karoline pretende levar adiante essa iniciativa de ‘empoderamento’ feminino mostrando seu conhecimento como percussionista.

A viagem de Karoline será no dia 12 de agosto. Ao lado dos outros cinco brasileiros selecionados, ela deve permanecer os primeiros 15 dias em um processo de capacitação em Oslo, na Noruega. O período de integração tem a intenção de preparar o grupo para entender melhor a sociedade onde atuarão como voluntários e também conhecer os conceitos que estruturam o Move e a FK Norway – Fredskorpset – forças de paz da Noruega. Após essa imersão, cada dupla seguirá seu destino. No Malawi, onde Karoline irá atuar, e em Moçambique, o programa de voluntariado será realizado por meio da participação em festivais de música, competições, workshops e capacitações em áreas de música, cultura e questões sociais. Na Noruega, os voluntários atuam na Escola TrØndertun Folkehøyskole, uma escola secundária pública de artes que oferece cursos de pop, rock, engenharia de som e dança e está situada na cidade de Trondheim. Desde 2016, oito brasileiros já participaram do intercâmbio.

Os escolhidos passaram por entrevista e testes e foram eleitos segundo os seguintes critérios: responsabilidade, habilidade musical, comunicação e atributos pessoais. Conheça os outros selecionados:

Gabriel também irá para o Malawi:

Gabiel dos Santos (18 anos), morador de São Carlos, estudou violoncelo durante seis meses no Polo Regional, participou do Grupo de Referência da cidade – Big Band e hoje seu principal instrumento é o piano. Após sua saída do Guri, o jovem fez licenciatura em música na Universidade Federal de São Carlos (Ufscar). Gabriel pretende implantar um projeto com deficientes: “Quero dar andamento a um projeto para pessoas com necessidades especiais. Quero mostrar que eles também são capazes de entrar para o mundo da música. Fiz pesquisas sobre educação especial na faculdade e pude ter a experiência de estudar com um aluno deficiente visual durante o tempo que fiquei no Guri”, disse Gabriel.

 

Move

O Move é um programa de intercâmbio criado pela JM Norway, membro da JMI – Jeunesses Musicales International (associação sediada na Bélgica que reúne diversas organizações musicais em cerca de 70 países), em parceria com a instituição musical Music Crossroads, do Malawi e de Moçambique. Seu objetivo é o desenvolvimento da prática musical internacional.

Oito brasileiros já participaram do intercâmbio entre essas instituições: Jassá Aquino e Aydan Schmidt visitaram a Noruega no primeiro semestre de 2016, período em que os colegas Eduardo Scaramuzza e Ananda Miranda estiveram no Malawi. Em 2017, a Noruega já recebeu Guilherme dos Santos e Thales Simões Martins; no Malawi ficou Elias de Oliveira Junior e Vitor Lyra Biagioni.

Membro da JMI desde 2012, a Amigos do Guri também recebe os intercambistas: em 2016, estiveram aqui os noruegueses Ellen-Martine e Nikolai Gmachl-Pammer; e os moçambicanos Lalah Mahigo e Vando Infante. Em 2017 foi a vez dos moçambicanos Engristia Irina e Tiger Massuco, além dos noruegueses Sandra Skroedal e Ole Berget. Os nossos visitantes ficaram em São Carlos, em uma das regionais do Projeto Guri.

Com AI