Trânsito seguro: você tem feito a sua parte nesta missão?

  • 25/10/2019 04:04

Difícil o dia em que pelo menos um acidente de trânsito não ganha espaço neste diário. Colisão frontal ou lateral, atropelamento de pedestre ou de animal na pista, capotagem. Não importa como aconteceu. A realidade é uma só: a imprudência nas estradas continua fazendo vítimas.

Conforme os dados do InfosigaSP, sistema do governo estadual, divulgados na edição de ontem, a 10ª RA (Região Administrativa), suja sede fica em Presidente Prudente, teve um aumento de 33% nas mortes no trânsito, passando de nove óbitos em setembro do ano passado para 12 no mesmo mês de 2019, em nove cidades do entorno.

Das oito regiões – de um total de 16 – que tiveram aumento na quantidade de mortes registradas, a de Prudente ocupa a terceira colocação, atrás apenas de Ribeirão Preto, com alta de 58% e São José do Rio Preto, com 48%.

Mostramos recentemente, em diversas reportagens publicadas, diferentes eventos que foram realizados no mês passado na cidade, durante a Semana Nacional de Trânsito, visando conscientizar condutores de veículos e motocicletas a respeitarem a legislação e ajudar a construir um ambiente viário mais seguro. Palestras, blitz educativa, distribuição de panfletos e até simulações. O público compareceu. Colocar em prática, no entanto, continua sendo o mais difícil.

Até mesmo com a Lei Seca, há mais de dez anos em vigor, beber e dirigir, por exemplo, continua sendo uma constante na maioria das cidades brasileiras. Quantos casos não vemos no noticiário, ou até mesmo em vídeos nos celulares, de motoristas que foram flagrados cambaleando, xingando o policial ou outras características que revelaram o consumo de bebida alcoólica?

Falar ao celular, enviar mensagens, mexer no aparelho de som e tirar fotos enquanto está no volante, além de não respeitar o limite de velocidade e a sinalização, são atitudes inadmissíveis para quem deveria dirigir com atenção e evitar essa triste realidade no trânsito brasileiro.

Tornar o trânsito mais seguro é responsabilidade de todos, de pedestres a motoristas. Muitos acidentes poderiam ser evitados, se houvesse mais prudência. Um pequeno descuido no volante pode ter uma grande consequência.