Viver é uma arte

OPINIÃO - Sandro Rogério dos Santos

Data 23/02/2020
Horário 04:01

“O cerne da felicidade: seja o que você é, mas não fique girando sempre em torno do próprio ego. Não se iluda e não se julgue tão importante. Trabalhe suas fraquezas, mas não se apegue a elas; solte-as. Somente quem é misericordioso consigo mesmo pode ser bom para si e para os outros. E quem conhece bem a si mesmo não vê os defeitos dos irmãos.” (Anselm Grün)

Exigente, desafiadora e bela é a arte de viver. Eis uma das habilidades que podemos desenvolver. É preciso saber viver. E isso nos parece paradoxal, pois todos os viventes estamos atuando na existência. Com acerto ou erro, vivemos. Daí pensar que todos sabemos viver. Entretanto, angustia-nos o fato de saber e crer que a vida é simples, mas que não conseguimos vivê-la com essa essencial simplicidade. Constatamos com alguma tristeza que o “dom” da complicação nos habita e que não raro, com as nossas ações, o aperfeiçoamos. Sim, muitas de nossas ações são complicadas, rebuscadas, cheias de dobraduras! Reforçamos o ditado “para que simplificar se é mais fácil complicar”.

Teríamos a quem culpar? Somos e estamos complicados por causa de que ou de quem? Não seria uma pequena incapacidade de aceitar as coisas como elas são? Não seria a “arte” de distrair os outros daquilo que é o principal em nós e que não conseguimos enfrentar na sua inteireza? Os relacionamentos complicam-se quando não conseguimos aceitar nem a nós nem aos outros como somos. Vivemos à procura de pessoas e de situações ideais. Chegamos ao disparate de usar um peso e duas medidas. Para nós, justificativas; para os outros, condenação. A leviandade das relações fica evidente nos namoros fajutos, nos casamentos descartáveis, na paternidade/maternidade irresponsável, nas amizades interesseiras e até com Deus (os crentes) podemos viver à margem, no rasinho. Vivemos dias que nos forçam a acreditar que não é bom comprometer-se.

Os mestres espirituais ensinam que a simplicidade é o primeiro degrau da sabedoria. Vida simples é vida com sabedoria. Sábio é aquele que sabe que sabe e que sabe quando não sabe. Também é aquele que “sabe” discernir entre o que sabe daquilo que não sabe. A arte de viver é então viver com sabedoria e simplicidade, sem fugas nem subterfúgios. Apenas ser. Perguntemo-nos se somos bons alunos dessa escola. Não há ninguém que não tenha nada a oferecer assim como não há ninguém que não tenha nada a receber de outrem. Aprendemos ensinando e ensinamos aprendendo.

Seja bom o seu dia e abençoada a sua vida. Pax!!!

 

Publicidade
eixosp

Veja também