Após 5 anos do lançamento, Pokémon Go continua em alta

Game, lançado em 2016 para smartphones, se renova com o tempo, expande jogabilidade e mantém uma comunidade aficionada em desbravar o mundo virtual dos Pokémons

VARIEDADES - CAIO GERVAZONI

Data 27/07/2021
Horário 08:19
Foto: Flickr
Receita da desenvolvedora de jogos para smartphones, Niantic, cresce ano após ano com o Pokemon GO
Receita da desenvolvedora de jogos para smartphones, Niantic, cresce ano após ano com o Pokemon GO

Cinco anos. Já faz meia década que o jogo Pokémon Go foi lançado, em 2016, pela empresa norte-americana de desenvolvimento de software Niantic, em parceria com a Nintendo. Na época em que foi disponibilizado para IOS e Android, o game causou um verdadeiro furor em todo o mundo. A possibilidade de usar realidade virtual aumentada, baseada na geolocalização do jogador, para caçar Pokémons, foi um conceito revolucionário para a indústria de jogos eletrônicos e alçou o consumo de games em smartphones a um outro patamar. 
Estima-se que o Pokémon Go foi um dos aplicativos móveis mais baixados na época, cerca de 750 milhões de vezes em todo o planeta. O jogo foi elogiado por servir de estímulo à atividade física dos jogadores, porém, vale lembrar a grande quantidade de controvérsias e notícias um tanto quanto pitorescas de caçadores de Pokémon que se acidentaram ou causaram algum de tipo de incidente ao tentar capturar um Pikachu da vida. Com o passar do tempo, o Pokémon Go evolui ao aprimorar e fornecer novas ferramentas para o divertimento dos adeptos do game. 
Desde o lançamento do jogo mobile, a Niantic, até agora, já lucrou cerca de 5 bilhões de dólares. De acordo com o site Sensor Tower, especializado na análise de games de smartphone, os ganhos da empresa crescem significativamente ano após ano. Somente no primeiro semestre de 2021, a desenvolvedora do game arrecadou cerca de 640 milhões de dólares. Segundo o site, o Brasil só aparece atrás dos Estados Unidos no ranking dos países onde as pessoas mais baixaram o jogo. Os norte-americanos fizeram o download do game por cerca de 115 milhões de vezes. 
O psicólogo e designer gráfico Felipe Cavalganti Mazzi, de Álvares Machado, é um jogador nato de Pokémon Go. A experiência dele no game começou em 2016, quando ainda estava na faculdade. Ele aproveitava o intervalo das aulas para sair em busca dos Pokémons com outros jogadores. “Muitos criticavam, mas muitos jogavam de forma que espantava como a quantidade de alunos se aglomeravam de certa forma em locais para capturar Pokémons, ou saíam correndo em busca de outros. Claro que o game ainda era sua versão primitiva comparada à que temos hoje em dia, mas era divertido”, conta Felipe. 
O Pokémon Go passou por atualizações ao longo do tempo e aprimorou a experiência de jogo para os usuários do game. Felipe conta que ficou um tempo ser jogar, mas retornou em meados de 2019. “O jogo sofreu várias mudanças para se adaptar à realidade que o universo da série ‘Pokémon’ traz, assim como as pokedex, reides, entradas de novos Pokémons e mudanças na jogabilidade”, explica.  
A estudante de Publicidade e Propaganda, Júlia Mota, de Tupi Paulista, também é uma aficionada pelo game. Ela iniciou sua jornada no Pokémon Go logo quando o jogo foi lançado no Brasil. “Eu comecei em 2016, mas onde eu morava não tinha nenhuma pokestop e nem ginásio, aí era bem complicado. O pessoal daqui tinha que ir para cidade vizinha conseguir pokebola e tals”, explica Júlia. Ela voltou a se divertir com o Pokemon Go em 2018. “Voltei há uns três anos e estou até hoje. A experiência de jogo melhorou muito.  Os balanceamentos ajudaram bastante nesta melhora. Tem eventos, itens e pokemons novos, mas a estrutura do game é praticamente a mesma desde sempre”, relata a jovem. 

Universo Pokémon

A série “Pokémon” foi criada no final da década de 80 pelo japonês Satoshi Tajiri. Em 1995, Tajiri desenvolveu os jogos eletrônicos Pokémon Red e Pokémon Blue para o Gameboy, antiga plataforma portátil da Nintendo. O mote da franquia é a captura de espécies fictícias de monstros colecionáveis, cada um com aspectos, habilidades únicas e a capacidade de algumas espécies evoluírem para formas mais poderosas. Os seres humanos capturam e os treinam para duelarem um contra o outro esportivamente. 
No anime da franquia, Ash Ketchum, junto a seu Pokémon parceiro, Pikachu, entra em uma jornada para se tornar um mestre Pokémon. A franquia é popular em todo o mundo, e além de games eletrônicos e animes, possui filmes, jogos de cartas, brinquedos, itens colecionáveis e etc. 

Foto: Sensor Tower

Veja também