“Colabora Cursinho”: startup de tecnologia e educação 

Projeto tem o objetivo de conectar professores e alunos através de cursos oferecidos de forma online e totalmente ao vivo; inscrições para o semiextensivo já estão abertas

PRUDENTE - WEVERSON NASCIMENTO

Data 23/08/2020
Horário 09:15
Cedida - Projeto conta com profissionais mestres e doutores
Cedida - Projeto conta com profissionais mestres e doutores

A educação, sem dúvidas, transforma o mundo. Em Presidente Prudente, o Colabora Cursinho é uma startup de tecnologia educacional sem fins lucrativos, com o objetivo de conectar professores e alunos através de cursos oferecidos de forma colaborativa, online e totalmente ao vivo, sobretudo aqueles de baixa renda ou matriculados na rede pública de ensino, que estão sem aulas presenciais em decorrência da pandemia do novo coronavírus, apresentam dificuldades de acompanhar o ensino remoto ou não têm condições de pagar um cursinho tradicional de preparação para o Enem (Exame Nacional do Ensino Médio) e vestibulares. As inscrições para o semiextensivo já estão abertas, iniciará em setembro e terá duração de cinco meses. O projeto conta com apoio de O Imparcial.
O Colabora tem como missão estabelecer uma conexão digital e em tempo real com alunos, de forma a proporcionar preparação de qualidade para vestibulares e exames, promovendo uma formação crítica e reflexiva sobre a educação e sociedade. De acordo com um dos sócios idealizadores da startup, Thiago Granja Belieiro, que também atua como professor da Unoeste (Universidade do Oeste Paulista), Colégio Esquema Único Educacional de Presidente Prudente – Poliedro e Colégio Anglo Pirapozinho, o projeto surgiu da necessidade de levar educação de qualidade, através de profissionais em sua maioria mestres e doutores, para aqueles que necessitam de conhecimento. 
“O Colabora conecta o professor que enfrenta ‘dificuldade’ em meio à pandemia ao aluno que precisa de conhecimento para vestibulares e o Enem. Tudo isso através da tecnologia que une essas duas pontas. Então, trata-se da transformação social da educação através da união de professores e alunos”, explica Thiago.  
A startup, que soma ao time de sócios, Gustavo Francisco Rosalin Saraiva e Eduardo Odraude Oliveira, acredita e promove a transformação das pessoas e da sociedade através da educação, de forma ética, socialmente justa e equitativa.

Formato de ensino

A pandemia do novo coronavírus trouxe diversas mudanças para a educação, tornando-a cada vez mais atrelada às diversas ferramentas virtuais. A primeira turma, que irá iniciar em setembro através do curso semiextensivo (20 horas semanais), contará com cinco meses de formação complementar, que proporcionará ao aluno a oportunidade de se preparar para os vestibulares, que em sua maioria foram adiados pelas instituições de ensino, bem como o Exame Nacional do Ensino Médio, que será aplicado em janeiro de forma impressa e em fevereiro no formato digital. 
A plataforma escolhida pelo grupo para aplicação de conteúdo foi o Google Meet, que tem capacidade de abrigar até 250 estudantes em aulas ao vivo de qualquer região do país. O ensino, por sua vez, será promovido através de metodologias ativas – processo amplo e que possui como principal característica a inserção do estudante como agente principal responsável pela sua aprendizagem. “É o aluno como um sujeito participante do processo. Para isso, ele contará com aulas online, exercícios, leitura de textos, e outras atividades de acordo com cada natureza de ensino”, frisa Thiago. 

É O ALUNO COMO UM SUJEITO PARTICIPANTE DO PROCESSO
Thiago Granja Belieiro

O valor do curso semiextensivo será de R$ 80, arrecadação que proporcionará a remuneração igualitária dos profissionais da educação. A startup, portanto, adota o modelo de economia compartilhada ou colaborativa, cuja ideia é que o valor seja gerado de forma compartilhada entre colaboradores, produzindo bens e serviços de qualidade, remuneração justa e equitativa para todos, e com preços baixos para clientes. 

"Adote um estudante"

Sociedade civil, empresas e instituições poderão custear um estudante através da campanha “Adote um aluno”. O colaborador poderá escolher um aluno para apadrinhar os estudos ou disponibilizar o valor espontâneo para uma seleção feita pela equipe da startup. Para participar deste gesto de solidariedade basta entrar em contato com o Colabora Cursinho através das redes sociais ou dos contatos disponíveis nesta reportagem. O apadrinhamento terá duração de cinco meses, período de aplicação do curso semiextensivo de ensino. O projeto também disponibiliza o sorteio de bolsas de até 100% para estudantes de escolas públicas.

SERVIÇO
Para ser aluno do Colabora Cursinho basta acessar as redes sociais da startup (Facebook e Instagram @colabora_cursinho) e preencher o formulário disponível. Para mais informações e apadrinhamento estão disponíveis os contatos (18) 98183-4011 e (14) 99669-9249.

Veja também