É hora de demonstrar empatia 

EDITORIAL - DA REDAÇÃO

Data 28/07/2020
Horário 03:55

A pandemia chegou, se instalou e não tem hora certa para ir embora. Tudo foi e está sendo readaptado, mas o receio insiste em fazer parte dos sentimentos da maioria das pessoas. Por um lado, isso é bom, já que isso faz com que os cuidados sejam redobrados. Os números assustam, mas os dados dos curados enchem os corações de esperança. 
Esperança essa que move o mundo, que aguarda ansiosamente a chegada da vacina, que vai devolver a vida normal ou a “nova normalidade” para quem tanto espera. E, em tempos de tantas incertezas, histórias de superação levam lágrimas aos olhos. Relatos de atitudes de empatia, amor ao próximo e cumprimento à promessa feita em uma formatura, faz crer no ser humano, por muitas vezes, tão descrente. 
Uma matéria veiculada domingo neste diário traz o exemplo de um médico que fez do seu dom a sua vida e rotina. Com a chegada da Covid-19, transformou todo o medo em amor ao próximo. Como dito no texto original, desistir nunca fez parte dos planos do médico José Luis Boni Junior, jovem de família humilde da Cohab, em Presidente Prudente, que com sacrifícios formou-se em Medicina na Bolívia. Com a mudança de governo, surgiu a chance no Programa Mais Médicos. Não teve dúvidas em optar pelo lugar mais isolado de todos, a Aldeia Bona, no Parque Tumucumaque, a 600 km da capital do Amapá. Os 1.230 índios da aldeia acabaram infectados pela Covid-19 e morreu uma índia de 67 anos. Boni tentou levá-la de avião para o hospital em Macapá, mas ela se recusou. Com exceção dessa índia, todos os outros se recuperaram. O próprio médico foi contaminado.
Como lido em frases pela internet, "a pandemia não transformou ninguém. Quem é bom continuou sendo bom e demonstra isso em ações. E quem é mal continua sendo mal e mostra no dia a dia que não tem compaixão de ninguém”. 
Que esse espírito de empatia, aflorado ainda mais em tantas pessoas, continue semeado no coração de pessoas do bem e que a pandemia traga lições importantes que devem ser propagadas para sempre. Faça o bem, sem olhar a quem!

Veja também