“São Victor”: Anastaciano se despede da “massa atleticana”

O domingo foi de homenagem e muita emoção no Mineirão; Atlético se despediu de um dos maiores ídolos de sua história: o goleiro Victor

Esportes - DA REDAÇÃO

Data 01/03/2021
Horário 19:50
Foto: Atlético Mineiro
Bastante emocionado, o goleiro foi às lágrimas e agradeceu a homenagem
Bastante emocionado, o goleiro foi às lágrimas e agradeceu a homenagem

30 de maio de 2013, noite de Libertadores, quartas de final. Depois do empate por 2 a 2 com o Tijuana, no México, o Galo empatava por 1 a 1 no Independência, resultado que garantia a classificação. Nos minutos finais, pênalti para o time mexicano e desespero da Massa. A eliminação era iminente. Os corações atleticanos não queriam mais bater, mas Victor teimou em reanimá-los e fez uma defesa histórica, com o pé esquerdo. O “Milagre do Horto” marcou a arrancada rumo ao título: a América seria do Galo! Victor é natural de Santo Anastácio e padrinho do projeto social Lar Divina Providência, da sua cidade natal.
A emoção daquele momento foi tão intensa que virou música, filme, quadro e livro. O Atlético tinha um novo herói, ou melhor, um novo padroeiro: São Victor.
O domingo (28) foi de homenagem e muita emoção no Mineirão. No jogo contra a URT, pela rodada de abertura do Campeonato Mineiro, o Atlético se despediu de um dos maiores ídolos de sua história: o goleiro Victor.
Com defesas milagrosas, muita identificação com o Clube e grandes conquistas, Victor se tornou o símbolo da fé atleticana.
As homenagens começaram já no caminho ao estádio. O letreiro do ônibus exibia a frase: SÃO VICTOR: #GRATIDÃO.
Todos os jogadores entraram em campo com o nome de Victor na camisa. O goleiro foi o capitão da equipe e usou uma camisa com o número 424, total de jogos que disputou pelo Atlético. Faixas e bandeiras em homenagem a Victor foram espalhadas pelo Mineirão.
Depois da partida, os jogadores homenagearam o goleiro com muitos abraços e o jogando para o alto. Com jogadores e membros da comissão técnica reunidos no centro do gramado, Victor acompanhou um vídeo em sua homenagem, produzido pela TV Galo.
Em seguida, o presidente do Atlético, Sérgio Coelho, entregou uma placa para o ídolo.
"São Victor é dos maiores ídolos de toda a história do Clube Atlético Mineiro. É um grande exemplo pelo profissionalismo,  empenho e retidão profissional", afirmou o presidente. "Sei que estar aqui homenageando o Victor é um desejo de cada atleticano, então, estou aqui representando todos".
Bastante emocionado, o goleiro foi às lágrimas e agradeceu a homenagem. "Difícil até falar alguma cosa depois de ver esse vídeo, toda a emoção, mas as lágrimas são de alegria, orgulho, sensação de dever cumprido e legado que fica. Obrigado clube Atlético Mineiro por me proporcionar as maiores alegrias emoções e conquistas da minha vida", disse Victor.
"Agradeço, também, à Massa Atleticana, que sempre me apoiou, independente do momento, reconhecendo a entrega que sempre tive dentro de campo", afirmou.
Ainda no gramado, Victor tirou o molde de suas mãos, que serão eternizadas na calçada da fama do Gigante da Pampulha.

SAIBA MAIS
A história de Victor no Galo começou no dia 4 de julho de 2012, data de sua apresentação. Clube e goleiro não imaginavam que, ali, começava a ser escrita uma história de idolatria, identificação e muitos títulos. A vida de ambos jamais seria a mesma.

Foto 

Foto 2
Victor tirou o molde de suas mãos, que serão eternizadas na calçada da fama do Gigante da Pampulha
 

Veja também