Vale Gás: devolvendo a dignidade e o direito à alimentação à população

OPINIÃO - Mauro Bragato

Data 18/08/2021
Horário 04:30

Além do impacto econômico, a pandemia da Covid-19 escancarou ainda mais a desigualdade no país, expondo famílias em estado de vulnerabilidade a uma situação ainda mais crítica. A realidade dessas pessoas foi afetada de maneira profunda e fez com que muitos, que sempre batalharam para colocar comida na mesa, passassem a depender de ajuda para sobreviver. 
Os primeiros afetados foram os trabalhadores informais, como diaristas e manicures, entre outros, e, ao longo dos últimos meses, trabalhadores formais também perderem seus empregos, agravando a situação. 
Valores como R$ 600, R$ 300, R$ 250 em um período curto serviram como uma atadura para estancar a hemorragia. Obviamente não o suficiente para atender a demanda. 
Hoje, as economias de Estados Unidos, China e dos países da Europa retomaram o crescimento. Esse fator, aliado ao aumento das exportações dos produtos nacionais e a valorização do dólar perante o real, fez com que o preço dos itens básicos de consumo dos brasileiros ficasse mais caro para o consumidor final aqui no mercado interno. 
E não foi só na cesta básica que sentimos esse aumento, mas também no gás de cozinha (GLP 13kg), com reajustes sucessivos nesse período. 
O auxílio emergencial ajudou as famílias a comprarem alimentos, mas não sobrou dinheiro para adquirir esse item tão importante na hora de prepará-los. 
Foi pensando nesse cenário, que o governo do Estado de São Paulo lançou o primeiro programa de assistência social, com o objetivo de auxiliar as famílias em situação de pobreza a comprarem esse item tão valioso: o programa Vale Gás. 
Trata-se de um programa fundamental no combate à fome, que garante aos 645 municípios paulistas a possibilidade de contemplar seus vulneráveis, que estão garantindo o alimento graças à solidariedade de muitas pessoas, mas que precisam do gás para cozinhar.  Somente nos municípios do oeste paulista, serão mais de 15 mil famílias, o que corresponde a quase 70 mil pessoas.
Para o cálculo de beneficiários do Vale Gás, o governo levou em consideração a média de integrantes por família na faixa mais vulnerável da população. 
O benefício de R$ 300, pago em três parcelas bimensais de R$ 100, está garantindo a compra de botijões de gás de cozinha para as famílias com renda mensal per capita de até R$ 178, e que estejam inscritas no CadÚnico (sem o Bolsa Família). 
As famílias que atenderem aos critérios de elegibilidade terão acesso ao voucher para o saque direto nos caixas eletrônicos do Banco do Brasil ou 24 horas. A primeira parcela começou a ser paga em julho e já está disponível para os novos beneficiários. As próximas parcelas serão pagas em setembro e novembro, respectivamente. 
É importante lembrar que o governo de SP não solicita nenhuma informação por SMS ou WhatsApp e nem envia links. Todas as informações referentes aos programas estarão sempre na área restrita do site principal do maior programa de proteção social do governo de São Paulo (www.bolsadopovo.sp.gov.br).
O direito à alimentação é garantido pela Constituição Federal. Mas de que adianta ter o alimento se não tem como prepará-lo? Por isso, o Estado de São Paulo se torna vanguarda da proteção às vítimas desta pandemia e estende o braço para ajudá-las a se recuperar.
 

Veja também