15 mandados de prisão são cumpridos em unidades da região

Conforme balanço do Deinter-8, divulgado no início desta tarde, foram 9 alvos em Presidente Venceslau, 4 em Pacaembu e 2 em Junqueirópolis

REGIÃO - ANDRÉ ESTEVES

Data 15/06/2018
Horário 16:42
Arquivo - Operação foi deflagrada a partir de bilhetes rasgados encontrados na P2 de Venceslau
Arquivo - Operação foi deflagrada a partir de bilhetes rasgados encontrados na P2 de Venceslau

Dos 21 mandados de prisão cumpridos em penitenciárias do Estado de São Paulo durante o primeiro dia da Operação Echelon, 15 se deram na 10ª RA (Região Administrativa) do Estado de São Paulo, sendo nove em Presidente Venceslau, quatro em Pacaembu e dois em Junqueirópolis, aponta balanço divulgado pelo Deinter-8 (Departamento de Polícia Judiciária do Interior) no início da tarde de hoje. No total, foram 75 mandados de busca e apreensão em 14 Estados brasileiros, sendo realizadas 63 prisões, das quais 51 já estavam dentro do sistema prisional. De acordo com a SAP (Secretaria da Administração Penitenciária), todos eles estavam em prisão processual, ou seja, poderiam sair a qualquer momento, mas agora continuarão detidos preventivamente, acusados inicialmente de associação criminosa.

A pasta completa que foi solicitada ao Judiciário a internação de alguns deles no RDD (Regime Disciplinar Diferenciado) e de outros (envolvidos em mortes de agentes públicos e/ou atentados à ordem nos presídios) em unidades penais federais. “A investigação ainda em curso já descobriu dezenas de outros crimes cometidos por eles, o que pode gerar outras condenações posteriormente”, complementa.

À reportagem, o promotor de Justiça, Lincoln Gakiya, afirmou que a cúpula e liderança de facção encontram-se na região, por isso, o início da operação em Venceslau, onde foram encontrados manuscritos nos esgotos da P2 (Penitenciária Maurício Henrique Guimarães Pereira). “Mas não há porque haver preocupação por parte dos moradores locais, já que se tratam de integrantes já presos e que não possuem ligação com aqueles indivíduos que cometem crimes nas ruas. De qualquer forma, desenvolvemos várias investigações na região, justamente para coibir a prática dos crimes”, salientou Lincoln.

 

Entenda a operação

Segundo a SAP, a Operação Echelon, que visa combater uma célula de organização criminosa atuante em Estados brasileiros e países vizinhos, foi iniciada no ano passado em um esforço conjunto entre a inteligência da pasta, a SSP (Secretaria de Segurança Pública do Estado de São Paulo) e o MPE (Ministério Público Estadual). O ponto de partida foi a Operação Ethos, em 2016, com a prisão de advogados e um representante da área de direitos humanos. As principais lideranças foram isoladas no RDD, porém, em abril de 2017, a inteligência da SAP verificou que um outro grupo de presos estava enviando, por meio de visitantes e advogados, “salves”.

Os agentes não conseguiram ter acesso às mensagens porque estas eram destruídas antes das revistas dentro dos pavilhões. A pasta estadual, no entanto, instalou telas nos canos de esgoto, conseguindo assim resgatar os bilhetes rasgados. “Houve um trabalho árduo dos serviços de inteligência da SAP para higienizar, recompor e comparar as cores das tintas e as caligrafias, conseguindo-se assim determinar a autoria das mensagens e chegar aos sete presos que teriam assumido a liderança após o isolamento dos líderes com a operação Ethos”, explica.

O material foi encaminhado ao Deinter-8 de Prudente, que deu início às investigações que culminaram a Operação Echelon. Esses sete presos foram transferidos ontem para o RDD, pois a SAP conseguiu que o Judiciário paulista expedisse a ordem para transferência previamente.

 

 

Veja também