A dama da solidão

Persio Isaac

CRÔNICA - Persio Isaac

Data 06/09/2020
Horário 07:56

Marilyn Monroe está incontrolável. Bêbada, entupida de pílulas que ela engole como se fossem balas. Fala de JFK, e de uma aventura com Robert Kennedy. Acende o alerta vermelho. Decidem levar Monroe para uma mudança de ares. Hospeda-se no bangalô 52 no Lago Tahoe. Peter Lawford entra firme nas garrafas de Bourbon e desaparece no seu mundo etílico. Marilyn Monroe se deita, engole novamente alguns medicamentos. Na cama cor-de-rosa no calmo e bonito lugar do lago Tahoe, ela conversa à toa pelo telefone. Bebe Dom Pérignon e adormece na linha. Está entupida de remédios e álcool. 
Um boy do hotel estranha que a linha do telefone está sempre ocupada e previne seu superior. Este avisa Skinny D'Amato e Jimmy Alo, os pistoleiros assassinos do mafioso, Meyer Lansk. Jimmy está presente no local junto com o chefão da Máfia de Chicago, Sam "Mooney' Giancana, o mafioso que controlava os sindicatos de Chicago. Joe Kennedy, pai de John Fitzgerald Kennedy, fez um acordo com a Máfia. Pagava qualquer preço para eleger o filho presidente da maior nação capitalista do mundo. 
O crime organizado não seria perseguido se Kennedy ganhasse as eleições. Salvatore "Mooney" Giancana ficaria responsável por Chicago e Carlos Marcello por Nova Orleans. Frank Sinatra está presente e eles abrem a porta e constatam que Marilyn Monroe está em overdose. Giancana fica furioso, Sinatra fica nervoso e Jimmy Alo quer acordá-la e se livrar dela. Fazem ela beber muito café, mas o efeito é mais devastador. Ela fica mais inconsciente e amolecida. 
Sam "Mooney" Giancana tem por ela um repulsa total pois detesta os Kennedy e sabe de tudo sobre a relação de Marilyn com o presidente dos Estados Unidos. Robert Kennedy como procurador geral da Justiça, estava numa perseguição feroz contra os chefões da Máfia. Foi o primeiro a combater a Máfia. Não foi esse o acordo feito com Joe Kennedy antes  das eleições. Giancana a violenta naquele estado deplorável em que ela se encontrava e depois manda um dos seus capangas estuprá-la. Queria humilhar os Kennedy. 
Marilyn acorda de manhã se sentindo mal, um mal estar existencial. Descalça se levanta, tremendo, ninguém está por perto. No dia 5 de agosto de 1962,  Norma Jeane Mortenson ou Marilyn Monroe dorme ao telefone para sempre. A mulher mais sexy, mais desejada do mundo, morre cercada de solidão.
 

Veja também