A velhice é a paródia da vida - Simone de Beauvoir

CRÔNICA - Persio Isaac

Data 05/07/2020
Horário 08:34

Olha gente, eu não gosto de ser politicamente correto, não posso ser hipócrita e nem mentiroso. Estou chegando aos 68 anos de idade e ainda com uma enorme vontade de comer brigadeiros. Mas sou um diabético, um cardiopata. Sou um cara feliz? Vamos analisar: Na parte física, minha bunda caiu de vez. Até que ela era bonitinha. Os testículos, popularmente chamado de culhões, chegam até os joelhos. Estou ficando careca e com a barriga flácida. E suas pernas? O que tem elas? Parecem as pernas de um Turdus Amaurochalinus. O que é isso? Ué, esse é o nome científico do glorioso sabiá-poca. Fica mais misterioso, né.

E cuidado, pois do jeito que está fina, é perigoso trombar com um pernilongo e fraturar a tíbia e o perônio. Vai te catar autocrítica. Tudo que eu não preciso nessa altura do campeonato é de seus irônicos e maldosos comentários. Já chega o meu ego doente latindo como um cão faminto pedindo rações de juventude. "C'est la vie". Eu sei, não precisa ficar me lembrando. Depois dessas constatações de ordem física, concluo que estou no bico do corvo. Que barbaridade.

Sabes que às vezes não escuto direito. Oh loco. Sério? Levo suaves e carinhosas broncas das minhas filhas: Oh pai, tá loco, a mamãe disse que o Jacó caiu e o senhor entendeu que o Jato caiu? Aí vem a Mulher-Maravilha: Gordooo pelo amor de Deus, você está surdo? Querer ter a ousadia de ficar nu, fazendo pose de um gladiador romano, para despertar desejos não republicanos na Mulher Maravilha seria um ato de insanidade. Ela com certeza iria cair na gargalhada. Maldita velhice. Não riem.

O samba do Nelson Cavaquinho e Guilherme de Brito: "Tirem o seu sorriso do caminho/ que eu quero passar com a minha dor...” reflete bem o meu estado de espírito. Nossa que drama. Lógico né, ninguém te vê e ainda por cima detêm todas as informações privilegiadas sobre o meu eu profundo. Sabes, se eu não tomar cuidado, você pode ser meu pior inimigo. Vou te falar uma sabedoria oriental que diz assim: “Eu vi a face do inimigo: era a minha própria”, Superego, tenho que ficar esperto com você. Agora para de me encher a paciência e me deixe com minhas angústias.  Acho que vou ter saudades quando as meninas me chamavam de "tio". Se me chamarem de velho eu mando pra p*#@* q*#@ #riu!!!.

Eu estou calmo, mas a tal da velhice ainda não entrou no campo da minha compreensão. Não aceito. Sei que faz parte da vida. E não é que perguntei nesse exato momento para a Mulher-Maravilha se estamos em 2020 ou 2021? Podem rir. Essa quarentena está me deixando confuso. Estou até aprendendo a fazer crochê para passar o tempo. Não me chamem de velho, senão eu mando pra p#@* q*#@ #riu!!!. E o governador João Doria? Nessa altura do campeonato, quer multar quem não estiver usando máscaras nas ruas: R$ 5 mil por pessoa se estiver dentro de qualquer estabelecimento comercial sem a bendita máscara e R$ 500 para o cidadão livre, leve e solto andando sem máscara nas ruas. Manda esse farsante para a China.

O ego desse cara deve ser um urso pardo gigante, faminto por holofotes de televisão. Quero os anos 60 de volta. Não me venham com essa filosofia, que a velhice é um "estado de espírito". Eu mando de novo pra p#@* q*#@ #riu!!!. Eu já disse que estou calmo, mas aguentar essas metáforas como "melhor idade" e encostar o carro em vaga de idoso é admitir que a mocidade já ficou anos luz perdida no tempo e no espaço. Não me sinto um idoso. Mas pelas convenções da sociedade, você é um velho. Vamos cuidar da alma porque o corpo já era. Aceite que dói menos. Não aceitoooo.

E bem que a vida poderia ser igual ao belíssimo filme “O Estranho Caso de Benjamin Button”. Nasce com as feições de um velho e morre como um bebê mamando no peito de qualquer mulher de boa alma, olhando com aquele olhar inocente. Seria bem mais poético do que acabar a vida num asilo com fraldas, tomando sopinha e dançando a dança da solidão. Por que Deus foi tão cruel? Eu me lembro de um amigo gaúcho que não aceitava a tal da "terceira idade" e malhava todos os dias. O corpo dele até que estava legal, mas a cara parecia um maracujá de gaveta. E a bondosa sociedade achou mais apropriado carimbar a velhice como a "melhor idade", a ilusão fica mais doce.

Já pensou se você olha uma menina bonita e ela vira pra você com aquela insuportável e bela juventude e diz: Seu "velho sem noção". Velho sem noção é a p#@* q*#@ #riu!!!. Calma, desse jeito você vai parar num hospício. Um dia conversando com um psiquiatra amigo meu, me aconselhou a tomar cuidado com a nostalgia e o otimismo. Velhos tristes são chatíssimos. Velhos alegres demais, mais ainda. Então me diga você com esse ar de superior de um cara que parece estar preparado para a velhice, qual seria o melhor meio de enfrentá-la? Muito simples. A melhor maneira de enfrentar a velhice é falar essa frase santa: "Velho é a p#@* q*#@ *#riu!!!.

Veja também