Advento, um tempo de alegria e espera por Aquele que há de vir

A partir de hoje, para os católicos, os 4 domingos que antecedem o Natal significam um período de preparação para o nascimento de Jesus; tradicionalmente, inicia-se a montagem das árvores

VARIEDADES - OSLAINE SILVA

Data 29/11/2020
Horário 07:22
Foto: Cedida
Em dois momentos a Igreja se reveste de roxo, no tempo da Quaresma e agora no Advento
Em dois momentos a Igreja se reveste de roxo, no tempo da Quaresma e agora no Advento

Hoje, começa o Advento, período que engloba os quatro domingos que antecedem o Natal. Como explica padre Rodrigo Gomes de Moreno, da Paróquia Nossa Senhora do Carmo, de Presidente Prudente, um período com sábados e domingos até a véspera do Natal, de preparação, de espera por Aquele que há de vir. Por isso a palavra “advento”. Estas quatro semanas são chamadas pelos católicos de preparação ao nascimento de Jesus!
O sacerdote salienta que as celebrações neste tempo de espera “nos traz um contexto muito especial de uma narrativa do profeta Isaías, que anuncia um tempo novo, de graça, alegria e esperança, e também nos é apresentado São João Batista como aquele que prepara os caminhos do Senhor. E é por isso que temos neste período a centralidade da espiritualidade católica que se dá na esperança e na expectativa de um tempo novo. A espera de um rei assim como acontecia, por todo período que antecede o nascimento de Jesus, o povo hebreu estava esperando a figura de um rei que pudesse reinar por todo o sempre. Trazendo para a figura de Cristo, este é o nosso rei que vem edificar um novo tempo na história da humanidade!”, exalta padre Rodrigo.

“SEJA O LOCAL ONDE JESUS SE SINTA BEM EM NASCER E NÃO APENAS NAQUELE DIA, POR ISSO QUE NATAL NÃO É UM PERÍODO. NATAL É UMA PESSOA, É CRISTO, É LUZ, É ESPERANÇA. É ADMITIR QUE CADA UM DE NÓS PODEMOS PREPARAR OS CAMINHOS DE JESUS”
Rodrigo Gomes de Moreno

As celebrações destes quatro finais de semana se dão através dos protocolos que já são exigidos e é omitido o hino de louvor, o cântico do Glória, onde a Igreja volta a exaltar os seus louvores a Deus somente na noite do Natal onde assim proclama-se o nascimento de Jesus Cristo. 
“Em dois momentos a Igreja se reveste de roxo: no tempo da Quaresma em que nós passamos pelo deserto, por uma espera para celebrarmos a vida em plenitude, que é a Ressureição, a vida que vence a morte. E agora o tempo do Advento, um tempo de espera na igreja, de graça, de plenitude, espera para um tempo novo com o nascimento de Jesus na história da humanidade e de cada um de nós”, frisa padre Rodrigo.

Preparemos a manjedoura

Padre Rodrigo aconselha que todo cristão tenha a atitude de fomentar neste período exatamente o fazer que sua história, sua casa, sua família, independente de como seja a constituição dela, seja uma manjedoura do nascimento de Jesus. 
“Seja o local onde Jesus se sinta bem em nascer e não apenas naquele dia, por isso que Natal não é um período. Natal é uma pessoa, é Cristo, é luz, é esperança. É admitir que cada um de nós podemos preparar os caminhos de Jesus. Ou seja, prepararmos o caminho do amor, da paz, da misericórdia, da acolhida, da fraternidade e tantos outros elementos que são dissidentes daquilo que Jesus sempre inspira a cada um de nós”, exalta o religioso.

SAIBA MAIS
Segundo a tradição cristã, o dia certo para montar a árvore de Natal é no primeiro domingo do Advento. A decoração costuma também ter uma data fixa para ser desmontada: 6 de janeiro. Neste dia, comemora-se o Dia de Reis, data em que os três Reis Magos conheceram o menino Jesus.

Foto: Freepik

Montagem das árvores, segundo a tradição cristã, deve ser feita no 1º domingo do Advento

Veja também