Amanhã será hoje

OPINIÃO - Sandro Rogério dos Santos

Data 15/11/2020
Horário 05:26

Hoje é um novo dia no qual havemos de fazer escolhas: direita ou esquerda, andar ou parar, comer ou jejuar, calar ou falar, sorrir ou chorar, desistir ou continuar... Amanhã há de ser um novo dia. E quando amanhã for hoje teremos capacidade de olhar no rosto das outras pessoas e de dar-lhes um sorriso sincero e com vontade de ser melhor? Quiçá hoje você se sinta julgado, amargurado, magoado e com outros tantos sentimentos negativos advindos de atitudes pretéritas. Ontem se tornou hoje que é, além do fruto do feito ontem, semente do amanhã.
Uma vida se faz com o tempo. Começa na fecundação e vai até o seu declínio natural (podendo durar um dia ou cem anos). A árvore que hoje sombreia foi plantada por quem talvez nunca a tenha visto frondosa. E nem por isso há mágoas lá ou cá. Há quem por causa de uma construção ou de uma fiação ou de um zelo estético qualquer sacrifica árvores de décadas e depois se queixa dos destemperos climáticos. Mas deixando um pouco de lado o floreio, hoje é dia de escolher. Temos à disposição uma miríade de nomes/pessoas que poderão em nosso nome e em nosso lugar agir: legislar, executar, fiscalizar. Sabemos do muito cansaço e do descrédito entre as pessoas; o ambiente político – necessário à organização social como a temos –, muito desgastado, não sinaliza melhoras para já.
Ah, como seria bom se os discursos – retóricos e eloqüentes – contemplassem não apenas uma boa articulação de palavras e de ideias, mas as reais condições de serem traduzidos em vida vivida no dia a dia do povo. Ah, como seria bom se os homens e as mulheres que pleiteiam cargos públicos fossem antes de tudo honestos consigo, acreditassem no seu papel de verdadeiros instrumentos transformadores sociais para o conjunto, especialmente cuidando dos mais empobrecidos e dos sem oportunidades. Ah, como seria bom se hoje tivéssemos a alegria de eleger gente que para ganhar nada de desabonador disse do outro a não ser das suas próprias ideias, competências e possíveis colaboradores.
Ah, como seria bom se a festa da democracia nos legasse cidadãos mais amadurecidos e comprometidos com o amanhã iniciado hoje. Também seria bom se as articulações de bastidores pudessem vir a lume para que não apenas palavras adequadas, mas as realmente usadas fossem consideradas por todos (há muita verdade carente de luz!). Também seria bom se o interesse das pessoas pela política fosse maior que o interesse pelas figuras políticas. Amanhã há de ser um novo dia. Que bom será ser olhado e olhar para todos e cada um sem receio do feito e do dito no dia hoje.
Seja bom o seu dia e abençoada a sua vida. Pax!!!

(*) Se quiser saber “em quem vou votar” leia a coluna Diocese Informa.
 

Veja também