Ano fecha com mais de 6 mil empregos perdidos

REGIÃO - MARIANE GASPARETO

Data 22/01/2017
Horário 08:03



A região de Presidente Prudente perdeu 6.164 empregos no ano passado, de acordo com o balanço anual do Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados) do MTE (Ministério do Trabalho e Emprego). Ao longo do ano foram empregadas 51.841 pessoas, e outras 58.005 foram desligadas dos seus postos de trabalho, gerando o saldo negativo.

Jornal O Imparcial Em dezembro, segmento da indústria perdeu mais de 800 empregos na região de Prudente

O mês de dezembro em si foi um dos que mais influenciou no desempenho ruim da região: foram 2.667 pessoas admitidas, enquanto 6.019 foram demitidas, deixando um saldo negativo em 3.352 empregos. O próprio comércio, que geralmente nota mais admissões do que demissões em dezembro, diante das contratações temporárias de fim de ano, ficou com 173 empregos perdidos em dezembro, diante das 1.012 pessoas admitidas e 1.185 demitidas.

Porém, os setores que mais impactaram no resultado negativo foram o de serviços - com 1.046 contratados e 2.073 desligados na região (saldo de –1.027)  -  e o segmento da indústria de transformação, que teve apenas 316 novos funcionários admitidos enquanto 1.209 foram demitidos.

 

Reação em cadeia


Para o diretor regional da Fiesp/Ciesp (Federação e Centro das Indústrias do Estado de São Paulo), Wadir Olivetti Júnior, o ano de 2016 "era para ser esquecido de tão terrível que foi para a indústria", lembrando que ninguém esperava uma situação como a de dezembro, com mais de 800 empregos perdidos. Empresas fecharam as suas portas e isso afetou diretamente nos registros de emprego da região.

Wadir explica que é uma reação em cadeia, porque o segmento produz bens de consumo duráveis e não duráveis, que estão com a comercialização desestimulada. "Sem vender, a indústria produz menos, e consequentemente demite mais. O desemprego diminui a renda da população, o que também desestimula o consumo, então, vira cíclico", afirma.

 

Veja também