Anvisa aprova uso de Coronavac por crianças de 6 a 11 anos

Governo de São Paulo confirmou prazo de três semanas para aplicação da dose inicial em todos os 4,3 milhões de paulistas desta faixa etária

REGIÃO - DA REDAÇÃO

Data 21/01/2022
Horário 13:55
Foto: Governo do Estado de São Paulo
Aplicações infantis com Coronavac tiveram início nesta quinta-feira no Estado
Aplicações infantis com Coronavac tiveram início nesta quinta-feira no Estado

A Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) aprovou o uso da Coronavac por crianças de seis a 11 anos em todo o Brasil. A exceção é para as crianças imunossuprimidas, que devem tomar o imunizante da Pfizer.

O governo do Estado de São Paulo confirmou nesta quinta-feira o prazo de três semanas para aplicação da dose inicial em todas as 4,3 milhões de crianças de São Paulo. Com aval da Anvisa, haverá uso imediato de 8 milhões de doses da Coronavac nos 645 municípios paulistas. Outras 7 milhões de vacinas serão oferecidas a Estados e Prefeituras que tiverem interesse no imunizante do Instituto Butantan.

As primeiras aplicações infantis com a Coronavac começaram às 14h38 desta quinta, na vacinação de Caetano de Jesus Martins Moreira, de 9 anos, e Camila Pastore, de 10 anos, na Escola Estadual Brigadeiro Faria Lima, na zona oeste da capital. Ao todo, 100 crianças foram vacinadas na unidade nesta quinta.

No momento, há 274 unidades de ensino autorizadas pela Secretaria de Estado da Educação e 11 prefeituras da Grande São Paulo e interior para apoio à campanha de vacinação nos 5,2 mil postos das 645 cidades paulistas. As escolas selecionadas são de fácil acesso e também possuem espaços adequados para receber crianças com comorbidades ou deficiências.

Calendário de vacinação

Também nesta quinta, o governador João Doria (PSDB) apresentou o calendário detalhado de vacinação infantil contra a Covid-19. Até o dia 10 de fevereiro, 850 mil crianças com comorbidades e deficiências, além de indígenas e quilombolas, de 5 a 11 anos podem tomar a primeira dose.

Paralelamente, as prefeituras também poderão imunizar outras 3,4 milhões de crianças por faixa etária. Até 30 de janeiro, será a vez daquelas com idade entre 9 a 11 anos. Entre 31 de janeiro e 10 de fevereiro, a campanha vai priorizar aquelas de 5 a 8 anos. É importante salientar que as crianças de 5 anos só podem receber o imunizante da Pfizer, enquanto as demais poderão ser protegidas pela Coronavac.

O governo de São Paulo estima que todas as crianças paulistas recebam a primeira dose até a primeira quinzena de fevereiro. Segundo a Secretaria de Estado da Saúde, a capacidade diária de vacinação pode superar 250 mil atendimentos com adesão maciça da população e disponibilidade de doses.

O cronograma completo da vacinação infantil está disponível no site www.vacinaja.sp.gov.br. A página também oferece serviço de pré-cadastro para que pais e responsáveis agilizem o atendimento das crianças em todo o Estado.

Fornecimento de doses

São Paulo foi o primeiro Estado do Brasil a iniciar a vacinação infantil contra o coronavírus, no último dia 14, horas após receber doses pediátricas do imunizante da Pfizer via Ministério da Saúde. Até então, a vacina era a única liberada pela Anvisa.

O governo do Estado já informou ao Ministério da Saúde que o Instituto Butantan pode firmar um novo contrato de fornecimento de doses ao PNI (Plano Nacional de Imunizações). Em 2021, 100 milhões de doses da Coronavac abasteceram o país desde o dia 17 de janeiro, quando São Paulo iniciou a vacinação em todo o Brasil.

Veja também