Aos 15 anos, Giovana sonha com jogos olímpicos de 2020

Esportes - Jefferson Martins

Data 24/09/2015
Horário 08:06
 

"Ainda está caindo a ficha", brinca Giovana Rosália dos Santos, que no último fim de semana subiu duas vezes ao pódio, no Campeonato Brasileiro Interclubes Menor, em São Bernardo do Campo. Ela tem 15 anos, mas integrou o elenco prudentino mesmo sendo da categoria mirim. "Foi inesperado. Eu tinha o objetivo de apenas melhorar as minhas marcas e ficar entre as cinco primeiras. Quando vi o resultado, não acreditei", conta a jovem.

Na competição, ela ajudou o time prudentino a conquistar o ouro no revezamento 4x400 metros misto. Também ficou com a prata nos 400 m. "Ganhei de todas as meninas que estão na minha frente no ranking. E olha que eu estava muito nervosa quando entrei na pista", lembra.

Jornal O Imparcial Ronerson Gabriel, 17 anos

Para Giovana, seu desempenho tem um significado importante. "Treinei muito para isso. O resultado foi bom para eu perceber que nada foi em vão e que nenhuma das minhas orações falharam", afirma a atleta que é natural de Assis e desde dezembro está em Presidente Prudente. "Acho que aqui é o começo de tudo. Sei que as pessoas não dão muita bola para o atletismo, então depende de nós mostrar o nosso valor. Quero ganhar tudo o que for possível, viajar para muitos lugares. Tem uma série de competições internacionais que eu estou trabalhando para ir, mas o meu foco mesmo está nas Olímpiadas em 2020", fala Giovana.

A atleta arrancou até elogios do supervisor técnico Inaldo Sena. "Ela é muito dedicada e no Brasileiro foi além de tudo o que eu pedi para ela fazer", comenta.

 

Com barreiras

Se no atletismo as provas de velocidade são as que mais chamam a atenção, para Ronerson Gabriel, 17 anos, foi diferente. Foi nos 110 m com barreiras que ele se identificou. "Logo de cara eu vi, gostei e achei que ia me dar bem", afirma o atleta.

Ele participou pelo segundo ano consecutivo do Brasileiro e nas duas competições ficou com a medalha de prata. "Nessa eu estava mais confiante. Me senti mais preparado e focado. Penso que com essa cabeça eu vou conseguir atingir os meus sonhos. O maior deles é ser reconhecido por onde eu passar por ser atleta brasileiro", finaliza Ronerson.

Veja também