Aos mestres nossa gratidão

Há professores que passaram pelas nossas fases de desenvolvimento, que jamais iremos esquecer. Atualmente, os professores entram na vida da criança muito cedo. Muitas vezes ainda bebês, em berçários. E lá estão as professoras para, de alguma forma, dar sua contribuição e continência. Hora certa para comer, dormir e para brincar. Muito cedo vão sendo introjetados conceitos para estabelecer uma ordem, limite e contorno. Ou seja, os mestres vão sendo responsáveis, alem dos pais, para a transformação da criança em pessoas com capacidade para pensar, em cidadãos no exercício da cidadania, e habilitá-los para a convivência social. 
Há professores que são de tudo um pouco. Além de serem preocupados com a formação do aluno, saem dos limites das quatro paredes da sala de aula. Vão além. Há professores que são psicólogos, médicos, costureiras, atores, mães, pais, madres, enfim, múltiplas funções. Há mestres que são excepcionais, possuem sensibilidade e visão binocular para enxergar no meio da multidão a singularidade de um aluno que está diferente dos outros dias. E discrição para abordá-lo. Ética no compartilhamento. 
Quem não tem um mestre para citar em suas memórias, com amor, devoção e gratidão? Lembro-me de uma professora que um dia resolveu fazer da sala de aula um cinema. Assistimos a um filme motivacional chamado “O Náufrago”, com Tom Hanks. Fizemos uma viagem junto com ela e ninguém se perdeu. Quem disse que só aprendemos com o jeito tradicional da lousa e o giz? Podemos aprender muito quebrando os paradigmas. 
O professor é um ser especial que, na ausência dos pais, ele se faz presente. Ele provoca um espírito epistemológico na criança que vai ecoar durante uma vida toda. O setor educacional vem gradativamente sofrendo um naufrágio. O professor, essa figura importantíssima, figura central que está sempre ocupando lugares de destaque no desenvolvimento de um país, vem sofrendo uma profunda desvalorização. Não se faz um país se não houver professores. Não se faz profissionais competentes, se não houver os professores. 
Cada grau escolar alcançado há uma infinidade de mestres implicados. Cada qual a sua maneira e peculiaridade. Uns mais rígidos, outros mais complacentes. Outros mais espiritualistas, uns mais emocionais e assim vão gradativamente construindo a história de um país. Obrigado por fazerem do aprendizado não um trabalho, mas um contentamento. Por serem pessoas dignas de nossa total confiança e a quem podemos recorrer quando a vida se mostrar difícil... Obrigado por nos convencerem de que éramos melhores do que suspeitávamos.
 

Veja também