Após está vida, vida!

Diocese Informa

COLUNA - Diocese Informa

Data 04/07/2021
Horário 19:28

Hoje é o dia que o Senhor fez para nós. Domingo: dia da Ressurreição. Dia da festa do sepulcro vazio. Vazio porque Jesus agora ocupa a vida dos fiéis. Dia de Santa Missa. “A Missa é o sol da Igreja”. Que nossa vida não se transforme nunca em uma eterna noite, em uma geleira sem fim. Lembre-se que da mesma forma que o sol nasce para todos: pobres, ricos, letrados, analfabetos, sadios, doentes, santos, pecadores; a Missa também é para todos. Missa é sol. Missa é centro. Missa é vida. Os discípulos compreenderam que o vazio era o grande sinal da vitória. O amor sabe compreender, a partir de pequenos detalhes, o que os outros, sem ele, não compreendem. Por isso, procuremos entre os vivos Aquele que era tido como morto. Jesus vive para sempre. "Vós sabeis o que aconteceu" (Cf. At 10,34a.37-43). Que da Ressurreição do Senhor ninguém duvide. "Deus o ressuscitou no terceiro dia" (Cf. At 10,34a.37-43). Que dessa certeza ninguém jamais se distancie. "Jesus nos mandou pregar ao povo e testemunhar que Deus o constituiu Juiz dos vivos e dos mortos" (Cf. At 10,34a.37-43). Aquele que vimos esfarrapado na cruz, Aquele que se manteve em silêncio sepulcral, é Aquele que hoje vive vitorioso. "Se ressuscitastes com Cristo, (...) aspirai às coisas celestes e não às coisas terrestres" (Cf. Cl 3,1-4). Não nos acostumemos com as sepulturas do pecado. Devemos desejar as coisas do alto. “Tiraram o Senhor do túmulo, e não sabemos onde o colocaram” (Cf. Jo 20,1-9). Que nos espera no final da vida? Vida! A escuridão do sepulcro "dá lugar à brilhante promessa da imortalidade" (Prefácio da Missa dos Fiéis Defuntos). Que não haja ninguém triste, mesmo que a vida pareça dura demais. Que possamos passar de “Povo da Sexta-feira Santa” a “Povo da Páscoa”. Sejamos testemunhos esperançosos de sua Ressurreição. Vamos celebrar a Santa Missa na certeza da vitória da vida sobre a morte. Jesus garantiu que após esta vida, haverá vida! (Autor: Padre Rafael Moreira Campos).

MINI SERMÃO:

Solenidade de São Pedro e São Paulo Apóstolos (Mt 16,13-19)

Quem é Jesus para você? Responder essa pergunta é revelar sua identidade. Pedro e Paulo tinham claro com quem se assemelhavam: o primeiro terminou crucificado também, o segundo descobriu que somente a graça de Deus basta e, que Lei não salva ninguém. Aprenderam ao longo da vida o que é ser discípulo. Não sei qual cristianismo você conhece, mas eu conheço o anunciado por esses dois homens. Saber responder quem é Jesus, é praticar o que Ele ensinou: amar é doar e não reter! Quem é Jesus para você? Enquanto você não souber responder, só peço que um dia compreenda quem é Jesus, assim como Pedro e Paulo compreenderam! (Autor: Padre Rafael Moreira Campos).

AGENDA PAROQUIAL: Paróquia Nossa Senhora da Imaculada Conceição - Taciba.

Missas:

Sábado às 18h30 – Igreja Matriz,

Domingo às 08h e às 18h– Igreja Matriz.

MENSAGEM DO PAPA:

Pedro, o pescador da Galileia, foi libertado em primeiro lugar da sensação de ser inadequado e da amargura de ter falido, e isso verificou-se graças ao amor incondicional de Jesus. Jesus amou-o desinteressadamente e apostou nele. A não desistir, a lançar novamente as redes ao mar, a caminhar sobre as águas, a olhar com coragem para a sua própria fraqueza, a segui-Lo pelo caminho da Cruz, a dar a vida pelos irmãos, a apascentar as suas ovelhas”. Jesus confiou-lhe as chaves para abrir as portas que levam a encontrar o Senhor e o poder de ligar e desatar: ligar os irmãos a Cristo e desatar os nós e as correntes das suas vidas. Também o apóstolo Paulo experimentou a libertação por obra de Cristo. Foi libertado da escravidão mais opressiva, a de si mesmo, e de Saulo, tornou-se Paulo, que significa ‘pequeno’. Foi libertado também daquele zelo religioso que o tornara fanático na defesa das tradições recebidas e era violento ao perseguir os cristãos: foi libertado. Deus não o poupou a tantas fraquezas e dificuldades que tornaram mais fecunda a sua missão evangelizadora: as canseiras do apostolado, a enfermidade física, as violências e perseguições, os naufrágios, a fome e sede. Paulo compreendeu assim que ‘o que há de fraco no mundo é que Deus escolheu para confundir o que é forte’, que tudo podemos n’Ele que nos dá força, que nada poderá jamais separar-nos do seu amor. (Fonte: www. https://www.vaticannews.va/pt/)

 

 

 

 

 

 

Veja também