Atividade física é uma droga boa: um vício bom!

Esportes - OSLAINE SILVA

Data 15/06/2021
Horário 05:35
Foto: Jéssica Ackawanne
Há cinco anos Vitor trabalha com treinamento funcional, crossfit
Há cinco anos Vitor trabalha com treinamento funcional, crossfit

Ver a evolução das pessoas de como chegam, com problemas como hérnia de disco, tornozelo, joelho, que não permite fazer um agachamento e daí três meses começam a desenvolver, a ter resultados, fisicamente, não esteticamente, mas evolução de movimento mesmo. Pessoas que não conseguiam dar uma volta no quarteirão e já começam ter esse gosto, outras sedentárias que não faziam nada, com início de depressão, que tomavam tarja preta e começam a substituir os medicamentos pela atividade física que passa a ser o refúgio delas.

Estes são alguns motivos de gratificação de Vitor Vomstein, 29 anos, educador físico e proprietário do box de crossfit Caverna Centro de Treinamentos, pela profissão que exerce diariamente!
“Elas descontam todo o estresse, o nervoso do dia na atividade física porque libera os hormônios e acaba dando aquela sensação de prazer, de dever cumprido influenciando nos estudos, em casa, no trabalho em todos os outros meios que ela vive no decorrer do dia dela. É um remédio. A gente brinca que é uma droga boa. Um vício bom. Lógico que tudo que é demais faz mal então tem que saber quando o seu corpo pede para descansar devagarzinho, só pra não ficar parado. Ou chega e está a fim de pegar pesado. Tá fazendo certo mantém. Não está, diminui. Então tem que saber dosar, colocar na balança”, expõe o educador físico.
Com licenciatura, bacharelado e pós-graduação em Educação Física pela Unoeste (Universidade do Oeste Paulista), há cinco anos ele trabalha com treinamento funcional, crossfit. Mas desde 2010, quando entrou na faculdade, entre estágios e trabalhos se manteve sempre na área de atividades físicas. Coisa que segundo ele não era seu foco quando iniciou os estudos. 
O educador conta que na verdade queria mesmo era trabalhar em escola, mas devido as dificuldades de vagas, processos e tal foi se preparando para o ramo da atividade física e então surgiu a primeira oportunidade de começar com a parte de musculação qual exerceu por três anos.

É um remédio. A gente brinca que é uma droga boa. Um vício bom. Lógico que tudo que é demais faz mal então tem que saber quando o seu corpo pede para descansar devagarzinho, só pra não ficar parado.

Vitor Vomstein

Veja também