Aumento na conta de água passa a vigorar neste domingo

Autorizado pela Artesp em maio, reajuste de 3,5% será aplicado a partir de hoje pela Sabesp; consumidores da região devem preparar o bolso para pagar mais caro no vencimento de julho

PRUDENTE - MARIANE GASPARETO

Data 10/06/2018
Horário 08:40
Marcio Oliveira, Iraci se preocupa em economizar: “Tem gente desperdiçando”
Marcio Oliveira, Iraci se preocupa em economizar: “Tem gente desperdiçando”

A partir deste domingo começará a incidir o reajuste de 3,507% nas contas de água dos municípios atendidos pela Sabesp (Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo), o qual foi autorizado pela Artesp (Agência Reguladora de Saneamento e Energia do Estado de São Paulo) em maio. Os consumidores do oeste paulista já devem ir preparando o bolso para as contas com vencimento em julho, as quais já deverão apresentar as tarifas reajustadas pela empresa.

Segundo a Artesp, uma conta de água para consumo mensal de até 10 metros cúbicos por mês para a classe residencial comum subirá de R$ 24,15 para R$ 25. Já para o consumidor residencial social, com o mesmo consumo médio, terá um crescimento da sua conta de R$ 8,19 para R$ 8,48. O segmento comercial e industrial, por sua vez, terá um crescimento de R$ 48,50 para R$ 50,20 na conta de 10 m³/mês. Essas quantias são exclusivamente referentes ao serviço de água, podendo variar após serem acrescidos valores dos serviços de esgotamento sanitário.

A cozinheira Iraci Barbosa, 53 anos, já está se preparando para o impacto do reajuste no bolso, por ter ciência do aumento nas tarifas já desde quando o mesmo foi anunciado, no mês passado. Ela aponta que costuma adotar medidas de economia do consumo de água em sua casa, mas que “não adianta muito” no sentido de preservar recursos hídricos, visto que muitas pessoas não possuem esse tipo de preocupação. “Vemos gente desperdiçando água de piscinas, limpinhas, lavando calçadas”, relata Iraci, acrescentando que a preservação desse bem esgotável é dever da sociedade, como um todo.

Já o auxiliar geral Addan Alcantud, 21 anos, lamentou mais um aumento – justamente após a adoção da bandeira amarela em maio, resultando em um acréscimo também da conta de energia. “No mercado, com a inflação, as coisas ficam cada vez mais caras e o nosso salário não cresce o suficiente para acompanhar”, enfatiza o trabalhador, que considera como “abusivo” mais um reajuste tarifário a cargo do contribuinte.

 

Cálculo do reajuste

A agência reguladora esclareceu em nota publicada em seu site que para conceder o reajuste utilizou dados históricos, projeções de investimentos, mercado, custos operacionais e o plano de negócios da Sabesp ao longo da etapa de análise. Em sua Deliberação 794​​, a Arsesp disponibilizou as tabelas detalhadas com os novos valores para todas as classes de consumidores (social, residencial, comercial, industrial e público). Basta consultar pela internet para obter mais detalhes.

Veja também