CÓDIGO DE POSTURA

REGIÃO - JOSÉ VICENTE

Data 23/10/2019
Horário 03:14

Há dois anos foi aprovado pela Câmara Municipal de Indiana o Código de Postura do Município. Na época esperava-se as mudanças propostas pelo documento, que inclusive foi até publicado em jornal, gerando um gasto de R$ 4 mil, devido à obrigatoriedade da publicação oficial. Entretanto, o poder público não colocou em prática o tal Código de Postura até hoje. O funcionário da Prefeitura que deveria estar fiscalizando as obrigações previstas no código está em outro setor, no Posto de Saúde de Indiana.

CEMITÉRIO

Na última sessão do Legislativo indianense foi criada e aprovada (Projeto de Lei 12/2.019) lei municipal que estabelece cobranças aos usuários que porventura necessitarem de fazer uso do cemitério. De acordo com o artigo 5º, construções de sepulturas só poderão ser executadas após a expedição de autorizações municipais. Os novos valores a serem cobrados ainda não foram divulgados a população.

EUFORIA COM AS CHUVAS

As chuvas trouxeram novo alento aos agricultores e criadores de Indiana e região. Aliás, as chuvas trazem aquela alegria também aos comerciantes, pois o reflexo é evidente em todo o setor econômico. Trabalhadores do campo são beneficiados com o surgimento de ofertas de emprego, melhorando sua renda familiar.

HORÁRIO DE VERÃO

Muitos ainda estão meio desorientados, aguardando o horário de verão, que perdurou por várias décadas no Brasil. Alguns não gostavam, e sentiam-se incomodados com a mudança, reclamavam de cansaço, por ter que levantar mais cedo. Na verdade, a alteração castigava uma boa parcela da população, inclusive estudantes, porém, agradava a muita gente, que sentia o dia maior, e com mais tempo para executar suas tarefas. Mas o horário de verão acabou.

CELULAR NO VOLANTE

Embora seja proibido, e considerado transgressão grave, como prevê o Código Brasileiro de Trânsito, causador de muitos acidentes com vítimas fatais, é absurdo o número de motoristas utilizando o celular ao volante em Indiana. Raramente os motoristas param o veículo para atender ou fazer uma chamada.

A FORÇA DO RÁDIO

Com bem menos intensidade, o rádio ainda demonstra ser um veículo de muita penetração em nossa região. Já foi a grande força sem dúvida através das emissoras pioneiras, as AMs, que dominavam tanto no jornalismo como nos musicais. Foi perdendo força com a chegada das FMs, que adotaram os modelos jornalísticos próprios das AMs. Tenho boas lembranças da ZYR 84, a Rádio Presidente Prudente; Rádio Comercial; Rádio Piratininga; e a Rádio Difusora, esta era sintonizada até no exterior. Tive a felicidade de atuar por muitos anos no rádio prudentino, ao lado de comunicadores famosos.

COMUNICADORES INESQUECÍVEIS

Nomes famosos que integraram a radiofonia e que não podemos de forma alguma esquecer. José de Alencar, Joseval Peixoto, Flávio Araújo, José Guerreiro, Bendrath Junior, Newton Alves, Alceu Árias, Irmer Lombardi, Antonio Feitosa, Helio Athia, Nilton Mescolote, Jose Barbato, Waltair Greg, Tadashi Kuriki, Jose Carrara, Douglas Peres, Jose Italiano, Tito Junior, Lázaro Dias. Estes são alguns da velha guarda, pioneiros, aos quais me permito incluir.

O PRIMEIRO TELEVISOR

Lembro com saudade de nossa infância em Indiana. O primeiro televisor em nossa cidade foi trazido pelo Décio Perelli, que até hoje vive aqui. Era um aparelho em branco e preto. Todos visitavam a casa do Perelli, na Rua Santos Dumont, para ver de perto o televisor. As imagens eram péssimas, mas com certeza encantavam a todos.

MUITO TRISTE

A população de Indiana continua sem atendimento por parte do Hospital e Maternidade de Regente Feijó, por falta de pagamento. A Prefeitura de Indiana deixou de pagar os três últimos meses, e por consequência, nossos munícipes estão sem atendimento desde a semana passada. A dívida acumulou, são R$ 30 mil. Seria de bom alvitre, que pelo menos a municipalidade desse uma explicação.

EM TEMPO

Montesquieu afirmava que só o poder pode controlar o poder. Em sua obra "O Espírito das Leis", o filósofo disse que qualquer pessoa que tenha o poder tende a abusar dele, e para que não haja abuso, é preciso organizar as coisas de maneira que o poder seja contido pelo poder.

Veja também