Cândia: mestra e discípula

Diocese Informa

COLUNA - Diocese Informa

Data 16/05/2021
Horário 06:10

Com professores altamente qualificados que partilham seus conhecimentos de modo gratuito, o Seminário Diocesano Nossa Senhora Mãe da Igreja forma o futuro presbitério da Igreja Particular de Presidente Prudente. É Graça de Deus. Homens e mulheres que se doam generosamente e, assim, capacitam jovens vocacionados ao sacerdócio. O elenco de professores é extenso, ao longo de 55 anos de história de seminário. Muitos já participam da “aula magna de Deus” e deixaram um legado em cada coração. No último dia 10 de maio de 2021, mais uma mestra se despediu de nós: Cândia Álvares Calvo. Presto aqui minha homenagem a essa mulher singular e repleta de valores. Falo em nome da Diocese de Presidente Prudente, que eleva uma oração de ação de graças pela vida de professora Cândia. A vida me ensinou que nenhum ato de amor deve ser apressado. Por isso, professora Cândia sempre amou seus alunos de modo constante e paciencioso. Cândia dispunha de paciência ao ensinar porque amava o que fazia e para quem fazia. Durante décadas nada danificou a credibilidade de seu testemunho cristão. Tinha calma. Lecionava a disciplina e, ao mesmo tempo, doutrinava com sua abnegação. Com olhar grato sempre relembrava: "De graça recebemos, de graça devemos dar" (Cf. Mt 10,8). Reforço: foram décadas lecionando gratuitamente. Sabia ela que a recompensa viria em forma de céu! Faço parte da lista de alunos que com ela aprendeu história do mundo e, descobriu que ela jamais sairá de nossa história. Dizia ela: “Deus nos faz grandes homens, para enfrentar grandes desafios”. Cândia, ao longo desses anos, formou homens, que hoje são padres. Hoje esses mesmos padres a presenteiam colocando seu nome sobre o altar. Que o Autor de toda história, Senhor do tempo e da Sabedoria, a receba no festim da Glória eterna. Você venceu professora. Sua recompensa chegou na forma de um chamado divino: "Venha bendita do meu Pai" (Cf. Mt 25,34). Foi uma mulher que nos fez repensar nosso lugar no mundo e, a importância do nosso modo de estarmos no mundo. Foi muito além de sua missão enquanto professora. Fez do giz sua ferramenta para indicar o caminho. Fez dos livros trampolins para alcançarmos o que parecia intransponível. Fez de sua profissão o seu sacerdócio. Com a alma na ponta do giz e o coração entregue ao saber, ela foi uma arauta do amor. Agradeço hoje e sempre, pois, ser professor ainda é uma causa e não somente um reconhecido trabalho. Parabéns não é suficiente para honrá-la. Precisamos dar mais aos que nos deram a base da vida. Cândia fez milagre com um toco de giz, um quadro negro e um mapa na parede. Foi capaz de ultrapassar sua profissão e deixar um legado, pois, acreditou numa causa nobre. Assim continuarás a obra de santificação da Igreja: do céu. Por meio de teu ministério docente, converteu corações a Jesus. Vá em paz professora. O seu tão sonhado céu chegou para ti. Mestra e discípula. Muito fez por nós, por isso, muito recebe agora! (Autor: Padre Rafael Moreira Campos).

MINI SERMÃO:
Solenidade da Ascensão do Senhor (Mc 16,15-20)

Ao invés de dominar, doar. Ao invés de acumular, dar. Ao invés de ressentir, perdoar. Ao invés de ficar, permanecer. Jesus foi para permanecer. Sua despedida é um jeito novo de manter-Se. É o poder surpreendente do Amor. A ausência visível de Jesus dá lugar à Sua presença real e integral. O endereço de Jesus agora é: "sacramento" e "coração do fiel". Ascensão é um modo novo de estar conosco. Despedia não significa ausência. Sua partida é a forma mais latente d'Ele permanecer. No coração de quem ama, Deus aí está. (Autor: Padre Rafael Moreira Campos).

AGENDA DO BISPO – DOM BENEDITO GONÇALVES DOS SANTOS:
Sábado dia 22 de maio: Bênção Igreja Matriz, às 19h – Paróquia Santa Terezinha, Marabá Paulista.
Domingo dia 23 de maio: Crisma, às 8h e às 10h – Paróquia São Miguel Arcanjo, Pres. Prudente.

MENSAGEM DO PAPA:
Na despedida dos discípulos, Jesus dá-lhes tranquilidade e paz, com uma promessa: “Não vos deixarei órfãos”. Defende-os daquela dor, daquele sentimento doloroso, da orfandade. Hoje, no mundo, há um grande sentimento de orfandade: tantos têm muitas coisas, mas falta o Pai. E isto repete-se na história da humanidade: quando falta o Pai, falta algo e há sempre o desejo de encontrar, de voltar a encontrar o Pai. [...] É por isso que Jesus promete: “Rogarei ao Pai e Ele dar-vos-á outro Paráclito”. “Vou-me embora” - diz Jesus - “mas virá outro que vos ensinará o acesso ao Pai”. [...] Somente com esta consciência de filhos que não são órfãos podemos viver em paz entre nós. As guerras têm sempre uma dimensão de orfandade: falta o Pai para fazer a paz. [...] Peçamos ao Espírito Santo que nos recorde sempre, este acesso ao Pai, que nos recorde que temos um Pai. (Fonte: http://www.vatican.va/content/)

Padre Rafael Moreira Campos
Vigário da Paróquia São João Batista – Pirapozinho/SP
"Ouse ser o melhor. Ame!"
Instagram @padrerafaelmoreira
Facebook www.facebook.com/rafaelmoreiracampos
Informações: Cúria Diocesana (18) 3918-5000
 

Veja também