Chegada de frente fria traz chuvas para a região entre amanhã e sexta

De acordo com Estação Meteorológica da Unoeste, fenômeno será acompanhado por tempestades, ventos fortes e queda de árvores e granizos em algumas localidades

REGIÃO - DA REDAÇÃO

Data 17/11/2021
Horário 12:56
Foto: Freepik
Ainda assim, chuvas de novembro deverão ficar abaixo da normalidade
Ainda assim, chuvas de novembro deverão ficar abaixo da normalidade

Para a segunda quinzena deste mês, é esperado volume de chuva entre 50 e 80 mm no oeste paulista, aponta a Estação Meteorológica da Unoeste (Universidade do Oeste Paulista). Esse índice será principalmente em função da chegada de uma frente fria associada à convergência da umidade sobre a região entre amanhã e sexta-feira. O fenômeno será acompanhado por tempestades, ventos fortes e queda de árvores e granizos em algumas localidades. Outro sistema frontal deve chegar ao oeste paulista entre os dias 24 e 25 novembro promovendo mais chuvas pela região.

Ainda assim, as chuvas de novembro deverão ficar abaixo da normalidade. A primeira quinzena do mês foi marcada por pouca chuva na região, sendo que, na estação localizada no Campus 2 da universidade em Presidente Prudente, foram registrados apenas 12,4 mm - o normal para o período seria volume próximo a 75 mm.

A irregularidade de chuvas observada neste mês deve continuar na primeira quinzena de dezembro. Esse período de estiagem ocorre principalmente em função do fenômeno La Niña, que encontra-se ativo no Oceano Pacífico e deve continuar influenciando o padrão de chuvas até janeiro ou fevereiro de 2022. Em anos de ocorrência de La Niña, é comum a maior pluviosidade na região Norte do Brasil e menor volume de chuvas na região Sul do país. A partir da segunda quinzena de dezembro, as chuvas terão maior regularidade no oeste paulista.

Associada ao La Niña, a Oscilação Antártica (Modo Anular Sul) também tem influenciado o padrão de chuvas na região Sul/Sudeste do Brasil. Desde o início de novembro, a Oscilação Antártica encontra-se na fase positiva, que desfavorece o avanço de frentes frias e, consequentemente, reduz o volume de chuvas no oeste paulista. A tendência é que a Oscilação Antártica continue na fase positiva (com menor amplitude) pelo menos até a primeira quinzena de dezembro. Portanto, esses importantes sistemas atmosféricos devem continuar desfavorecendo a ocorrência de chuvas no oeste paulista.

Outro sistema importante, a Oscilação Madden-Julian também encontra-se na fase que desfavorece chuvas para região e assim deve permanecer até a primeira quinzena de dezembro.

Por fim, a previsão do Climate Change Service para o próximo trimestre (dezembro/janeiro/fevereiro) indica chuvas abaixo da normalidade para a região Sul do Brasil e regiões próximas.

Veja também