CLARO E CRISTALINO

PRUDENTE - Homéro Ferreira

Data 05/02/2020
Horário 03:07

Em ofício enviado à Câmara Municipal, trabalhadores da Prudenco (Companhia Prudentina de Desenvolvimento) pedem aos vereadores que o projeto de estrutura da empresa de economia mista contemple plano de carreira e transparência.

FIM DOS DESVIOS

Sem meio termo, direto e reto, é feito o pedido de fim dos desvios de função. Também pedem que o Portal da Transparência, criado por exigência da própria Câmara Municipal, seja devidamente atualizado.

BATENDO PESADO

No documento protocolado junto aos vereadores e apensado ao PL (projeto de lei), os signatários batem pesado. Falam em desordem e arbitrariedades, como a concessão de cargos para apadrinhados políticos e amigos, em prejuízo dos concursados.

MAIS DE UM TERÇO

Ao ofício está anexado abaixo-assinado de 439 trabalhadores, o que representa mais de um terço dos 1.224 nomes da folha de pagamento de novembro do ano passado. As assinaturas alcançam o percentual de 35,8%.

APOIO À CAMPANHA

A direção do Sintrapp (Sindicato dos Trabalhadores do Serviço Público de Presidente Prudente e Região) também enviou ofício à Câmara, informando sobre a pauta de reivindicações e pedindo apoio à campanha salarial 2020.

AUMENTO REAL

O documento assinado pela presidente Luciana de Freitas Telles Peres cita 5% de aumento real, incorporação do abono de R$ 225 e a implantação do PCCS (Plano de Cargos, Carreira e Salários) que está sendo esperada desde 2018.

VENDA QUESTIONADA

Antigo morador da Vila Formosa e que foi presidente da associação de moradores, Ariovaldo Aparecido Lopes, envia ofício à Câmara Municipal, no qual questiona o novo pedido de venda da Escola Municipal Edson Lopes.

VALOR DE DOIS DIAS

Sobre o argumento da administração municipal de que a venda possibilitaria por as finanças públicas em dia, o missivista faz apontamentos e diz que o valor estipulado para a venda, R$ 4,7 milhões, representa apenas dois dias de arrecadação do município.

ESTÁ EM TRÂMITE

Em trâmite, o novo projeto sobre a venda da escola é do vice-prefeito Douglas Kato Pauluzi (PTB), proposto em janeiro, no final de seus 20 dias como prefeito em exercício. A proposta do prefeito Nelson Roberto Bugalho (PSDB) foi rejeitada pela Câmara, no ano passado.

REJEIÇÃO ABSOLUTA

O veto do prefeito Bugalho ao projeto legislativo que institui novas regras para a CIP (Contribuição de Iluminação Pública) foi rejeitado totalmente pelos vereadores na primeira sessão de 2020, na noite de segunda-feira desta semana.

MEIA BOCA, NÃO

Projeto de lei do vereador Mauro Neves (PSDB) foi aprovado e a administração municipal fica impedida de inaugurar obras incompletas, sem condições de atender aos fins a que se destinam ou na impossibilidade de entrar em funcionamento imediato.

NOME DA BEBETECA

Os vereadores aprovaram projeto de Kato para a denominação da biblioteca que está sendo instalada no Centro Cultural Matarazzo e que em breve será inaugurada com o nome de Bebeteca Mauro Crivelin Martos Neto.

Veja também