Publicidade

Concessionárias projetam vendas melhores no 2º semestre

Em Prudente, os meses de junho e julho foram positivos para o mercado de veículos, aproximando-os da média mensal de aquisições antes da pandemia do novo coronavírus

PRUDENTE - WEVERSON NASCIMENTO

Data 08/08/2020
Horário 08:31
Cedida/Liane Veículos - Segundo semestre será favorável para venda de veículos em Prudente Foto: Cedida/Liane Veículos - Segundo semestre será favorável para venda de veículos em Prudente

Recentemente, em parceria com a Anfavea (Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores), a Webmotors, empresa de tecnologia especialista no setor de compra e venda de veículos, divulgou os resultados de uma pesquisa de intenção de compra no cenário de pandemia da Covid-19.  Apesar dos impactos iniciais no mercado automotivo, o estudo mostra que, dos consumidores interessados na compra de um carro zero quilômetro, 84% planejam a aquisição ainda em 2020. Em Presidente Prudente, representantes de concessionárias relatam que as vendas foram impactadas no início da pandemia, principalmente, pela insegurança de compra do consumidor, porém, os meses de junho e julho foram positivos para o setor, aproximando-o da média mensal antes do novo coronavírus. O prognóstico do segmento automobilístico local é de que o 2º semestre será favorável para vendas. 
Na Liane Veículos, o gerente comercial Paulo Jordão Amorieli explica que, apesar de todos os problemas atuais, o mercado vem se recuperando dia após dia, inclusive, a revendedora de carros já se aproxima do cenário mantido antes da pandemia. “O primeiro semestre acabou tendo uma pequena queda de 10% em relação ao ano passado, mas nada que comprometa o ano, pois os três primeiros meses foram bons. Acredito, mesmo com a pandemia, que teremos um resultado melhor que o ano de 2019. Esperamos um crescimento de 20% em relação ao ano passado, uma vez que o segundo semestre representa o maior volume de vendas”. 
Ainda segundo o gerente, a flexibilização das atividades econômicas deu o impulso que faltava para faturarem, mesmo diante de um horário específico para atendimento presencial. Dentre as estratégias adotadas pela empresa está o fomento da venda online, que já crescia antes da pandemia e agora virou realidade. 

Reação positiva

O gerente de veículo seminovos da V. Muchiutt, Danilo Carnelossi, destaca que nos meses de abril e maio o setor sentiu fortemente o impacto da pandemia, tendo em vista a incerteza causada pelo período. “No início da pandemia, o consumidor segurou a compra, pois não sabia o que iria acontecer, e isso fez com que o nosso fluxo de vendas caísse bastante. Porém, os meses de junho e julho foram excelentes para o segmento de seminovos, e atingimos a venda de 70 e 80 veículos, respectivamente. Tudo isso é reflexo de segurança para a compra”. Esses números, segundo ele, equivalem ou se aproximam da média mensal antes da pandemia. 

OS MESES DE JUNHO E JULHO FORAM EXCELENTES PARA O SEGMENTO DE SEMINOVOS
Danilo Carnelossi

Conforme o diretor comercial da Diretta Veículos, Alexandre Motta Chemin, o primeiro semestre de 2020 teve uma queda de faturamento (50%), se comparado com 2019. No entanto, explica que o setor já mostrou reação positiva, de forma que consiga até o final deste ano um aumento de 40% nas vendas. “Temos uma procura maior nos seminovos, mas o zero quilômetro também está reagindo”. Segundo ele, a flexibilização das atividades econômicas (Plano São Paulo) ajudou o setor a se “reestruturar”, além da fidelização e confiança do cliente com a empresa. “Nossa estratégia será sempre a disponibilidade e a confiança adquirida ao longo dos anos. O cliente procura onde ele confia”, pontua. 

Produção de zero km

Na Honda VM Center de Presidente Prudente, a consultora de vendas Edna Dantas explica que o setor retraiu neste período de quarentena, além da indústria ter reduzido a produção de carros zero quilômetro, com isso, é possível estimar também uma queda de 50% no número de vendas neste período. Mesmo diante deste cenário, ela explica que o setor se recupera e se adequa ao novo formato de consumo. 
“Estamos otimistas considerando esse formato de consumo, ou seja, produzindo e vendendo. Para tanto, já encomendamos carros para o nosso perfil de cliente”. Sobre essa redução na produção de automóveis, a Anfavea apresentou o balanço da indústria automobilística nos seis primeiros meses do ano. Com forte impacto da pandemia da Covid-19 nos últimos três meses, a produção acumulada de 729,5 mil veículos representou uma queda de 50,5% na comparação com o primeiro semestre de 2019 (1,473 milhão). 

SAIBA MAIS
O levantamento feito pela Anfavea e a Webmotors mostra que, dos 64% que pretendem comprar um carro ainda neste ano, 16% planejavam comprar um carro em junho; 21% planejam para os próximos três meses; e 27% prorrogaram para os próximos seis meses, enquanto 12% preferem postergar para 2021. Essa pesquisa foi realizada com 1.668 usuários do site da Webmotors espalhados por todas as regiões do país. A maioria dos entrevistados é composta por homens com faixa etária de 36 a 45 anos, em maior número da região sudeste.

Veja também