Publicidade

DENGUE EM MARTINÓPOLIS

REGIÃO - JOSÉ VICENTE

Data 25/03/2020
Horário 03:09

​Embora o coronavírus tenha polarizado as atenções, a dengue continua sendo a grande preocupação em Martinópolis. Recebemos um quadro atualizado da Secretaria Municipal de Comunicação, que ainda mostra um índice muito alto de vítimas dessa doença. Os dados são os seguintes: 1.182 casos, com 817 positivos; 202 negativos; e 163 aguardando resultado. A Prefeitura, através do Departamento de Saúde, informou na semana passada sobre a primeira notificação de um caso suspeito de Covid-19. Trata-se de um paciente que teve contato direto com um caso positivo do vírus, entretanto, nada foi confirmado, depois dos procedimentos padrões de monitoramento terem sido realizados.

​TOPA TUDO FOI ADIADO

​A Associação Comercial e Industrial de Regente Feijó nos informou sobre o adiamento da promoção denominada Topa Tudo, que já é tradicional naquele município e deveria ter ocorrido neste mês de março. Entretanto, em virtude da triste situação do coronavírus, todo o setor comercial entrou em recesso nesta semana e outras datas com certeza serão estudadas futuramente, depois que o perigo desse mal tenha passado.

​VACINAÇÃO CONTRA GRIPE

​Foi iniciada ontem a vacinação antigripal em Indiana e as equipes de saúde acharam por bem realizar esse trabalho na praça da matriz, e não mais no centro de saúde, em virtude do local ser pequeno e bem restrito. Na praça da matriz, além de maior espaço, ficou bem mais prático para as pessoas, principalmente as com mais de 60 anos serem atendidas.

​DENGUE EM INDIANA

​Ainda existe uma grande preocupação com a dengue em Indiana, pois nos últimos dias novos casos surgiram e um dos motivos, sem dúvida, é a situação de muitos terrenos sujos e casas sem moradores. Nesses locais, os matagais proliferam e propiciam situações de risco para os vizinhos. Uma das reclamações é sobre uma casa abandonada no centro da cidade, na Rua Tiradentes, 383. Há meses sem moradores, essa casa tem sido um dos motivos da existência de focos da doença. Para se ter uma ideia, pelo menos cinco pessoas na vizinhança foram contaminadas pela dengue. A Prefeitura deve, com urgência, notificar o proprietário para que faça a limpeza da casa e do terreno.

​SECA PREOCUPA SITIANTES

​Depois de um período de boas chuvas, novamente os sitiantes já começam a ficar apreensivos com a estiagem, pois as pastagens já dão sinais de seca. Os problemas começam a rondar tanto agricultores como criadores, que necessitam das chuvas para as plantações e alimentação para os animais. A cana tem sido uma das alternativas para alimentar o gado.

​​AS EPIDEMIAS MAIS FAMOSAS DA HISTÓRIA

​Estamos vivendo o tempo da pandemia denominada coronavírus ou Covid-19. A imprensa está prestando um belo serviço no sentido de oferecer orientações às pessoas que precisam ficar isoladas em casa, mas tem os meios de comunicação como suporte para saber o que pode e o que não deve fazer, para evitar a contaminação. Mas nem sempre foi assim. A peste negra, que matou 50 milhões, também conhecida por peste bubônica, ocorreu entre 1333 e 1351, onde não havia a facilidade que temos hoje, para a divulgação. Era provocada pela bactéria Yersinia pestis, comum entre os ratos urbanos, e transmitida ao homem pelas pulgas.

​A CÓLERA - 1817 A 1824

​Matou centenas de milhares, sendo que a contaminação era por meio da água ou alimentos contaminados pelo vibrião colérico (Víbrio cholerae) que sofreu diversas mutações, causando novos ciclos epidêmicos de tempos em tempos. Sua primeira epidemia global ocorreu em 1817.

​TUBERCULOSE - DE 1850 A 1950

​Matou 1 bilhão de pessoas no período, e sinais da doença foram encontrados em esqueletos de 7 mil anos atrás. O combate foi acelerado em 1882, depois da identificação do bacilo de Kock, causador da tuberculose. Nas últimas décadas, a doença ressurgiu em países mais pobres, incluindo o Brasil. É altamente contagiosa.

​​VARÍOLA E TIFO

​A varíola fez 300 milhões de vítimas entre 1896 e 1980. A descoberta da vacina ocorreu em 1796. Outra doença terrível, o tifo, matou 3 milhões de pessoas, na Europa Oriental e Rússia, entre 1918 e 1922. Ficou conhecida por febre tifoide e era transmitida pela pulga do rato.

​GRIPE ESPANHOLA​

​A gripe espanhola matou 20 milhões de pessoas entre 1918 e 1919. O vírus influenza foi o carrasco de tantos mortos, inclusive no Brasil matou o presidente Rodrigues Alves. E não para por aí, tivemos a febre amarela, que matou 30 mil pessoas entre 1960 a 1962, com grandes epidemias na África e nas Américas. O sarampo fez 6 milhões de pessoas por anos até 1963. A primeira vacina foi descoberta em 1963, e até então foi uma das causas da mortalidade infantil. Outro mal terrível foi a malária, que fez 3 milhões de mortos por ano desde 1980. É considerada pela OMS (Organização Mundial da Saúde), como a pior doença tropical. A aids fez 22 milhões de mortos desde 1981. Foi descoberta desde 1981 nos Estados Unidos, e foi considerada como epidemia pela OMS. 

Veja também