Dia de campo aborda manejo, cultivo e colheita da batata doce

Durante as atividades realizadas, foram apresentados maquinários e tecnologias do campo,, além de formas de colheita, tratamento da cultura no solo, entre outros pontos

PRUDENTE - THIAGO MORELLO

Data 14/06/2019
Horário 05:20
José Reis - Momento foi extensão da mesa redonda realizada anteriormente
José Reis - Momento foi extensão da mesa redonda realizada anteriormente

Quem esteve presente na manhã de ontem na Unoeste (Universidade do Oeste Paulista), em Presidente Prudente, pode participar da mesa redonda que deu sequências às atividades do 2º Simpósio de Batata Doce, que integra a programação da 2ª Feira da Batatec (Feira Tecnológica da Batata Doce). E por falar em sequência, de origem da mesma programação, na parta da tarde foi o momento do Dia de Campo de produção de batata doce. Realizado no Centro Agronômico da instituição de ensino, a objetivo foi tratar do manejo da cultura.

O professor e pesquisador à frente do efetivo, André Ricardo Zeist, explica que o momento foi como uma extensão do que antes havia sido apresentado nos debates da mesa redonda, no sentido de mostrar o manejo, cultivo e até mesmo a colheita da batata doce. “É uma oportunidade de pôr a mão na massa realmente e conhecer de perto a cultura”, pontua.

E assim foi feito. Durante as atividades realizadas, todas voltadas para a vivência da produção na prática, foram apresentados maquinários e tecnologias do campo, formas de colheita, tratamento da cultura no solo, entre outros pontos. “Trata-se de uma chance de viver de perto o dia a dia de quem cuida de um material que é importante para a região”, completa o professor. Na sequência, os participantes se dirigiram para uma propriedade rural particular.

Desta forma, ainda de acordo com André, essa foi a forma de ainda aplicar a teoria. Na ocasião, além de alunos e pesquisadores, o momento reuniu produtores rurais, empresários, “enfim, todos aqueles que possuem uma ligação direta ou indireta com o interesse ou cultivo da batata doce, de forma a ampliar a produção regional”.

Produção essa, que ao ser questionado, o pesquisador responde que tem, sim, se consolidado ainda mais. “No Estado de São Paulo a produção de batata doce quase que triplicou no último ano. E, logicamente, na nossa regional, isso não poderia ser diferente”, pontua. Ela ainda cita que essa consolidação da cultura na área é algo que vem há anos e, conforme os anos, “ganhando ainda mais espaço”. Aliás, como já foi recentemente noticiado pelo O Imparcial, a batata doce foi elencada como a produção mais rentável na região, atualmente, conforme o EDR (Escritório de Desenvolvimento Rural) de Prudente.

Veja também