Publicidade

Direita ou esquerda?

Estamos bem perto da chegada de 2020. Mais um ano de vida! Que alegria! Gratidão! Cada ano que passamos, convivemos com todo o seu glamour e suas peculiaridades. Esse ano foi difícil, pois foi preciso andar como se estivéssemos “pisando em ovos” para evitar “pisar na bola” com colegas, parentes e amigos que eram da esquerda ou direita. Como assim?! Imaginava que direita ou esquerda fossem mão de direção ou um sentido de orientação ou circulação. Ledo engano.

O espectro político esquerda-direita é um conceito geral de enquadramento de ideologia e partidos. Há um consenso geral de que esquerda inclui progressistas, sociais-liberais, libertários socialistas, anarquistas, comunistas e socialistas etc., enquanto a direita inclui neoliberais, econômico-libertários, conservadores, reacionários, etc. Mas, meu intuito não é entrar nessa questão. Foi um embate a convivência uns com os outros. Amigos muito queridos manifestavam-se contra alguns pensamentos. E assim a convivência foi ficando meio tóxica, ácida e apimentada.

Contrastes, diferenças, adversidades, conflitos e choques de opiniões foram ingredientes marcantes que pairaram no raio de diâmetro de 2019. A política acabou gerando mal estar, inimizades, cisões, fendas e estranhamentos nos relacionamentos. Somos todos iguais e nossa caminhada do dia a dia consiste em perdas e ganhos, conquistas e fracassos, alegria e tristezas, saúde e doença, união e separação. Enfim, vida e morte.

Nada adianta a onipotência e a arrogância. Todos, sem distinção de classe, cor, religião, língua, ou seja, etnia, necessitamos de um bom banheiro e uma sepultura. Vamos viver da melhor forma possível. E a melhor forma consiste em tentar agregar, amar, expressar, fertilizar, respeitar-se, vincular-se e tomar o partido do bem, da ética e da conciliação.

Para finalizar o ano de 2019, deixo minha mensagem com a letra da música dos Titãs: “Devia ter amado mais. Ter chorado mais. Ter visto o sol nascer. Devia ter arriscado mais. E até errado mais. Ter feito o que eu queria fazer. Queria ter aceitado as pessoas como elas são. Cada um sabe a alegria e a dor que traz no coração. O acaso vai me proteger, enquanto eu andar distraído. O acaso vai me proteger, enquanto eu andar. Devia ter complicado menos, trabalhado menos. Ter visto o sol se por. Devia ter importado menos, com problemas pequenos, ter morrido de amor. Queria ter aceitado a vida como ela é. A cada um cabe alegrias e a tristeza que vier”. (Epitáfio-Titãs). Feliz ano novo!

 

 

Veja também