Domingo de Páscoa celebra a ressurreição de Jesus Cristo

Conforme padre Rodrigo Gomes de Moreno, hoje é dia de “celebramos uma nova passagem, não para o Mar Vermelho como os hebreus, mas uma passagem que nos conduz para uma vida nova

VARIEDADES - OSLAINE SILVA

Data 16/04/2017
Horário 10:17
 

Após momentos marcantes rememorados por cristãos católicos como a entrada triunfal do Senhor em Jerusalém, o Tríduo Pascal com a celebração do "Lava-pés", a instituição da Eucaristia, a Paixão e Morte de Cristo, é chegado o grande dia de explodir em alegria pela Ressurreição do Filho de Deus! É Páscoa e Nosso Senhor está entre nós!

Conforme padre Rodrigo Gomes de Moreno, da Paróquia Nossa Senhora do Carmo, é dia de "celebramos uma nova passagem, não para o Mar Vermelho como os hebreus, mas uma passagem que nos conduz para a libertação, uma vida nova. Passagem da Morte para a vida! E assim queremos verdadeiramente celebrar essa Páscoa que é a vida nova, a Ressurreição de Jesus!", exclama o sacerdote.

Jornal O Imparcial Jesus não realizava a Páscoa de forma simbólica, mas com humildade, por isso o Lava Pés

Padre Rodrigo explica que primeiramente, para entendermos o que é a Páscoa precisamos nos voltar ao conteúdo histórico, antes de Cristo (a.C). Segundo ele, Páscoa significa passagem e o povo hebreu, o povo escolhido de Deus celebrava todos os anos esta festa comemorando a passagem da libertação do Egito para a Terra Prometida.

Passagem esta que o povo realizou enxuto pelo Mar Vermelho, que Deus abriu, até chegar a terra onde Ele a confiara: a Terra Prometida. E assim todos os anos nessa mesma época esse povo se reunia para agradecer a Deus com os pães ázimos (sem fermento) que foi o que eles conseguiram durante a peregrinação no deserto.

 

Jesus vem!

Com a vinda de Jesus, Ele estava dentro desta época onde todo o povo estava a celebrar a Páscoa, sobretudo em Jerusalém, que era o centro da fé, em que o povo também se reunia para realizar essa festa em agradecimento a Deus.

E assim, como todas as famílias se reuniam com os seus, Jesus também se reunia com os seus 12 apóstolos celebrando a Páscoa. Porém, Ele não a realizava de uma forma simbólica, mas como Deus realmente gostaria que essa Páscoa fosse celebrada. Com gestos de humildade, por isso o Lava Pés.

"A entrega plena de Jesus. E depois com os acontecimentos pascais, a traição de Judas, a prisão de Jesus, sua agonia, seu martírio, seu flagelo. Como sabemos ele é crucificado e sepultado. E no domingo Ressuscita!", enaltece o religioso.

Por isso padre Rodrigo enfatiza que essa celebração deve acontecer com explosão de alegria, assim como deve ser a nossa vida, sempre de alegria. "Passamos por um período de 40 dias de deserto, de reflexão e agora sim celebramos com muita festa esta vida nova que Deus nos concede. É momento de agradecermos por tudo isso", destaca o padre.

 

Simbologias

Padre Rodrigo comenta, que propriamente é muito conhecida a simbologia dos ovos e do coelho da páscoa. Tanto o ovo quanto o animal pela fertilidade, pela abundância de vida, de gestação... "por isso alguns símbolos foram acrescidos às celebrações, ao período pascal. Claro, outras coisas comerciais se aderiram à  época, mas não compõem o critério religioso", expõe padre Rodrigo.

 

Sábado de Aleluia

Uma das coisas que existem também como costume antecedendo esse dia de bênçãos, geralmente, no sábado (ontem) é a malhação de Judas onde muitas pessoas se juntam e começam a surrá-lo até esse boneco se desfazer. A ação pode ser exposta como um ato de rechaça por toda a traição, tudo que pode nos distanciar daquilo que Deus espera.

 

 

Veja também