E fora do Instagram, você está bem?

Roberto Mancuzo

COLUNA - Roberto Mancuzo

Data 23/11/2021
Horário 06:00

Chocado com a pergunta? Pois é, de vez em quando alguém precisa te puxar para a realidade.
Adorei a resposta de uma amiga a esta frase, que circulou muito por aí nos últimos meses e foi tema de um episódio bem legal do Mamilos, podcast da B9 (www.b9.com.br/podcasts/). Ela disse: “Meu anjo, eu não estou bem nem no Instagram”. 
Pois é, estamos em um momento difícil mesmo, ainda mais final de ano, com tantas atividades para terminar, dinheiro curto no pós-pandemia, trabalho on e offline e relacionamentos tentando voltar ao normal. 
Enfim, muita arrumação a fazer e a gente ainda precisa postar toda hora para dizer que está legal, que a vida vai bem? 
Precisar não precisa, mas quantas pessoas se veem hoje reféns desta ditadura midiática? Vira e mexe eu caio nesta armadilha e me vejo postando porcarias diversas.
Vai ver você está assim também e nem percebeu. Vai ver você acredita que existe mesmo um lugar reservado no céu das redes sociais para quem se obriga a publicar incessantemente de tudo um pouco.
Uma coisa é o grupo de perfis empresariais, com equipes de comunicação profissionais e preparadas por trás. 
Empresas e influencers profissionais postam mesmo todo dia, usam os mais diversos canais para falar com os mais diversos públicos, mas porque este é o trabalho deles. 
Outra coisa, totalmente diferente e injusta, é você cair nesta vibe.  
Quero que reflita sobre esta afirmação: você existe para além das redes sociais e não o contrário.
Não é preciso dizer ao mundo todo santo dia que está vivo e pleno, em que lugar está, o que come, veste e fala. No fundo, pouquíssimas pessoas recebem sua mensagem e vou dizer mais: quem recebe nem está muito aí para isso tudo porque tem seus próprios problemas. 
Eu trabalho com produção de conteúdo profissional, algo que passa bem longe dessa massificação de corpos perfeitos, lugares ensolarados e comidinhas sacadas. Conteúdo empresarial promove conexões humanizadas muito diferentes desta perfumaria que existe hoje e que invadiu 99% das redes.   
E mesmo nas minhas criações profissionais de conteúdo eu sei que há um limite. Parto sempre de estratégias e planejamentos muito bem elaborados e ainda assim tenho que me policiar muito para não escrever algo irrelevante só porque “parece” haver alguém esperando pela postagem. Não há, gente! Ninguém está esperando uma atualização no Instagram, Facebook ou Twitter para saber a rotina insignificante que você acabou de fazer.
E se você acha que esta crônica é uma bronca, tome como uma libertação. Está tudo bem não postar toda hora. 
Para mim está tudo bem não mostrar em rede o sol que está batendo no meu rosto ou a música que tanto me encanta no show ou no celular. 
Está tudo bem ser você no mundo, com superações diárias que não aparecem nas redes, mas te fazem ser uma pessoa única e importante para alguém. Para alguém, não para o mundo todo! E já está bom demais.
 

Veja também