Economia e o Turismo

OPINIÃO - Renato Mungo

Data 12/10/2021
Horário 06:49

O turismo é, sem dúvida, um importante segmento para retomada da economia. Por meio de um ato normativo, o Ministério do Turismo instituiu parâmetros para desenvolvimento de programas, projetos e ações para a retomada. São quatro eixos de atuação: preservação de empresas e empregos no setor; melhoria da estrutura e qualificação de destinos; implantação dos protocolos de biossegurança; e promoção e incentivo às viagens (cadastre-se em: retomada.turismo.gov.br).
Em agosto, o Governo do Estado de São Paulo anunciou R$ 202,2 milhões em convênios para obras e melhorias em 70 cidades que são estâncias turísticas, embora não tenha anunciado os valores que serão destinados, já que cada município deve apresentar projetos voltados ao turismo para a liberação do investimento, por meio do Dadetur (Departamento de Apoio ao Desenvolvimento dos Municípios Turísticos). 
O Turismo Religioso é um dos segmentos mais relevantes em termos turísticos para algumas regiões. O Santuário Nacional de Aparecida, por exemplo, recebeu 11,9 milhões de visitantes em 2019, registrando naquele 12 de outubro, 30 mil romeiros, e mais de 160 mil peregrinos que participaram das festividades. Ainda, o local abriga, somente no Santuário, 300 lojas. Em um ano, são mais de R$200 milhões movimentados na economia em Aparecida. Mais intimista, mas relevante, o Santuário Morada de Deus, em Álvares Machado, recebia, uma média de 500 visitantes por mês, antes da pandemia.
Quando uma pessoa visita um santuário religioso, ela vive uma experiência ligada à fé e a espiritualidade, e ainda para muitos, o seu caráter histórico.   De qualquer forma, fomentar a modalidade em nossa região é peça fundamental para a economia, havendo importante movimentação neste sentido que deve ser acelerado. 
Aqui no Pontal, com a efetivação do Santuário de Santo Expedito, por exemplo, haverá um impulsionamento no oeste paulista. Não à toa que o município está concorrendo ao Prêmio Top Destinos Turísticos, um reconhecimento por acreditar nessa modalidade como um potencial. A votação segue até esta sexta, 15, por meio do link: votetop.com.br, na categoria Turismo Religioso. Desde 2017, o município faz parte do MIT (Município de Interesse Turístico) no segmento religioso. São 11 atrativos, dentre igrejas e eventos anuais. 
Vale a pena investir, sobretudo, integrar profissionais com conhecimentos básicos do segmento, como aspectos históricos e técnicas de roteiro. O Turismo Religioso em nossa região tem grande potencial e requer múltiplos olhares, em especial, com a integração entre municípios que podem se beneficiar da modalidade. Atenção, Prefeitos!

Renato Mungo é presidente da UEPP (União das Entidades de Presidente Prudente e Região)

Veja também