Educação e lusofonia X

António Montenegro Fiúza

“Liberdade de ensinar e aprender!”
Manuel de Almeida Damásio

A citação inicial consiste numa das mais basilares prerrogativas de todos os indivíduos: a liberdade que cada ser tem para apropriar-se do mundo ao seu redor, através da aprendizagem de cada uma das suas características, especificidades e complexidades e de transmitir as suas vivências, as lições aprendidas e apreendidas, a todos quanto queiram também conhecê-lo. 
Com os olhos postos nessa liberdade, a qual nem sempre é concretizada, o visionário professor doutor Manuel de Almeida Damásio sonhou um dia que todos os povos da lusofonia se unissem num objetivo comum, pela melhoria das suas comunidades, através da educação, do reforço dos seus recursos humanos, da valorização das suas gentes. E como o sonho comanda a vida, esse nobre idealista colocou os alicerces, no que antes não passava de castelos no ar.
«As instituições de ensino superior (IES) podem e devem ter um papel crucial no aumento da competitividade da economia. Para além dos óbvios benefícios que resultam da formação e capacitação de recursos humanos que irão, através das competências e saberes adquiridos, contribuir para o aumento da competitividade das empresas, existem duas outras áreas centrais onde o ensino superior tem um papel essencial a desempenhar em ordem à melhoria da competitividade da nossa economia. A primeira dessas áreas concerne à transferência de conhecimento e a segunda à internacionalização.» 
Sob a égide do investimento sério no ser humano e no desenvolvimento das suas capacidades técnicas, acadêmicas, sociais e culturais, este emérito educador lusófono criou um ideal de progresso fundamentado no saber – fazer, no saber – estar e, principalmente, no saber – ser.  Surgia, assim, o projeto educativo do Grupo Lusófona, o qual teve as suas fundações lançadas há 31 anos, e que consiste na maior e mais importante iniciativa de ensino superior lusófono, um complexo educativo que abrange as várias esferas da educação, desde o pré-primário ao pós-doutoral, das ciências sociais e humanas, às artes e tecnologias, às ciências da saúde  e percorrendo várias longitudes de Portugal a Moçambique, passando por Guiné-Bissau, Cabo Verde, Angola e  aqui no Brasil, por Rio de Janeiro, São Paulo e Bahia.
Distinguem-se os profissionais entre os que planeiam, os que concretizam e os que avaliam as ações; no magnífico professor doutor Manuel de Almeida Damásio reconhecem-se todas essas competências, as quais permitiram o sonhar, o concretizar e o implementar de melhorias contínuas e assertivas, num sonho que se tornou a oportunidade de crescimento e desenvolvimento para milhares de cidadãos desta grande nação: a lusofonia.
 

Veja também