Entrega de currículos cresce 143% no Balcão de Empregos de Prudente

Conforme Sedepp, no primeiro trimestre do ano passado foram recebidos 8.353 currículos, que saltaram para 20.346 nos primeiros três meses deste ano

PRUDENTE - GABRIEL BUOSI

Data 07/05/2021
Horário 09:15
Foto: Freepik
Balcão de empregos da Sedepp recebeu 20.346 currículos no primeiro trimestre de 2021
Balcão de empregos da Sedepp recebeu 20.346 currículos no primeiro trimestre de 2021

A quantidade de currículos recebidos no Balcão de Empregos de Presidente Prudente no primeiro trimestre deste ano, em meio ao cenário de pandemia, se comparada com os mesmos três meses do ano passado, apresentou um aumento de 143,57%. Conforme a Sedepp (Secretaria de Desenvolvimento Econômico de Presidente Prudente), no primeiro trimestre do ano passado foram recebidos 8.353 currículos, que saltaram para 20.346 nos primeiros três meses deste ano. 
“Sem sombra de dúvidas, a pandemia influenciou significativamente no Balcão de Empregos, aumentando a busca por um novo emprego, haja vista que a maioria dos setores reduziu o quadro de funcionários para possibilitar a sobrevivência da empresa”, afirmou a titular da Sedepp, Ana Paula Atayde Setti, sobre o número maior de pessoas disponíveis no mercado e em busca de uma oportunidade, o que refletiu significativamente nos dados. 
No mesmo período, porém em virtude da pandemia, os atendimentos pessoais tiveram uma queda de 28,62%, já que caíram no período analisado de 4.985 atendimentos em 2020 para 3.558 atendimentos neste ano. E também como consequência do cenário econômico vivido, as contratações registradas pelo Balcão de Empregos apresentaram uma diminuição significativa, de 42,19%, ao passarem de 557 no primeiro trimestre de 2020 para 322 neste ano. 

Qualificação profissional

“A recomendação para os que buscam uma oportunidade de trabalho é a qualificação profissional através de cursos, como os oferecidos gratuitamente pelo Sebrae [Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas] e também os de incentivo ao empreendedorismo que podem capacitar o candidato ao início de um trabalho autônomo”, aponta Ana Paula. 
Sobre o perfil dos candidatos que começaram a buscar o local, a titular da pasta comenta que é um perfil de pessoas com escolaridade de ensino fundamental completo ou não, com faixa etária entre 18 e 30 anos de idade, e ressalta que houve uma crescente na busca pelo primeiro emprego, mesmo que sem experiência. “Os segmentos que mais empregam neste período são o da construção civil e de supermercados. O que que menos tem empregado é do setor de portaria e vigilante”.

Veja também