Escola transforma terreno em horta comunitária

Unidade municipal, localizada no Morada do Sol, recebe hoje intervenção que fomenta plantio de alimentos em áreas urbanas

PRUDENTE - André Esteves

Data 15/06/2016
Horário 09:13
 

 

A Escola Municipal Odette Duarte da Costa, localizada no Jardim Morada do Sol, em Presidente Prudente, recebe hoje, às 15h, a intervenção "Hortas Urbanas na Comunidade", realizada pelo Sesc (Serviço Social do Comércio), com o apoio de educadores ambientais do Arumã Brasil, grupo paulistano de desenvolvimento sustentável. A ação, que faz alusão ao Dia Mundial do Meio Ambiente, comemorado em 5 de junho, visa promover a reflexão sobre a importância de uma alimentação saudável.

De acordo com a diretora da escola, Sirlei Oliveira, a atividade complementa um trabalho já realizado há mais de um ano na instituição. "Em 2015, tivemos o apoio da ONG Moradia e Cidadania, da Caixa Econômica Federal, para a implantação de uma horta escolar em nosso espaço. O projeto nasceu com o objetivo de incentivar a relação dos alunos com o manejo da terra e o plantio", explica. Deste projeto, germinou outro: a criação de uma horta comunitária com o suporte da ONG Cidades Sem Fome, que busca transformar terrenos públicos e particulares em projetos sustentáveis de agricultura urbana.

Jornal O Imparcial Horta comunitária é subsidiada por escola do Morada do Sol

Sirlei explica que, enquanto a horta escolar tem finalidade pedagógica, a comunitária tem como propósito despertar na comunidade a possibilidade de iniciar seus próprios plantios. "É importante ressaltar que o Jardim Morada do Sol é uma região carente de Presidente Prudente, portanto, ações como essa garantem a subsistência da comunidade", enfatiza.

Conforme a diretora, a horta escolar possui 15 canteiros, já a comunitária conta com 36. "A horta escolar atende, hoje, 150 crianças do programa Cidadescola. Eles possuem uma rotina definida, onde saem para afofar a terra, realizar o plantio e colher os resultados. A escola subsidia as sementes e parte da colheita vai para a merenda e a outra para o consumo da comunidade", destaca. Sirlei frisa que o cultivo é totalmente orgânico e livre de agrotóxicos. Entre os produtos semeados, estão repolho, brócolis, rúcula, alface, beterraba, almeirão e milho.

 

Produção comunitária

O casal de produtores Irene Rocha dos Santos, 42 anos, e Gildo Cardoso dos Santos, 52 anos, é a primeira família a participar do projeto-piloto da implantação de uma horta comunitária na escola. Em desenvolvimento há cerca de dois meses, o espaço, que antes era "puro mato", como ambos afirmam, possui 36 canteiros e deve receber hoje a intervenção do Sesc e da equipe da Arumã Brasil.

Com uma enxada nas mãos, Gildo interrompe o manejo da terra para mostrar à reportagem a evolução do cultivo. "Quando chegamos aqui, era uma bagunça. Tiramos a sujeira e iniciamos a implantação dos canteiros. Agora, o objetivo é estendê-los", comenta. Atualmente desempregado, ele encontrou na área uma ocupação e se sente grato pela oportunidade. "Nada disso seria possível sem o apoio da escola e de Deus, que é o maior produtor", agradece.

 

Oficinas

Ontem, o Sesc realizou, às 10h e 14h, uma oficina com educadores do Arumã Brasil sobre alimentação saudável, por meio de hortas urbanas. A ação se repete amanhã, no mesmo horário, no quiosque do local. As inscrições são gratuitas e devem ser feitas pela central de atendimento da unidade.

Veja também