Estado apresenta projeto “Pontal 2030”

Coordenado pela Secretaria Estadual de Desenvolvimento Regional, programa visa promover ações a fim de potencializar a região

REGIÃO - THIAGO MORELLO

Data 21/01/2021
Horário 19:22
Foto: Cedida
Projeto foi apresentado pela Secretaria Estadual de Desenvolvimento Regional
Projeto foi apresentado pela Secretaria Estadual de Desenvolvimento Regional

Na tarde de hoje, o governo do Estado de São Paulo, por meio da Secretaria Estadual de Desenvolvimento Regional, apresentou oficialmente o projeto “Pontal 2030”, cuja ideia é promover ações a fim de potencializar a região do Pontal do Paranapanema nos próximos 10 anos. A estrutura do programa foi repassada abertamente à sociedade civil, que teve a oportunidade de dar ideias, sugestões e também tirar dúvidas.
A empreitada, conforme explicado pelo coordenador do projeto, Marcos Pilla, envolve 32 municípios, incluindo 31 da região de Presidente Prudente e a cidade de João Ramalho, que pertence à regional de Marília (SP), mas foi inclusa por questões técnicas. Juntos, os locais representam uma área de 18.441,60 km e uma quantidade populacional de cerca de 600 mil habitantes.
Os objetivos estratégicos do programa foram divididos em quatro pela secretaria: desenvolvimento regional; solução de conflitos fundiários, pensando em terras devolutas com mais de 15 módulos fiscais; redução das desigualdades; e fortalecimento institucional.

Ações de curto prazo

Para tanto, Marcos Pilla detalha que serão realizadas ações de curto prazo nos municípios envolvidos, como a criação de um aglomerado urbano, a regularização fundiária - já salientada anteriormente, para o desenvolvimento da agricultura familiar -, melhoria da infraestrutura de estradas vicinais e ações de saúde com corujões, telemedicina, entrega de mais leitos e tratamento médico em especialidades. “Já as ações de longo prazo englobam um plano de turismo para o Pontal do Paranapanema, creches de primeira infância e atração cultural nas estações ferroviárias”, completa.
Ainda de acordo com o coordenador, apesar de o público-alvo ser primeiramente a população do território envolvido, espera-se que as ações atinjam ou envolvam, seja direta ou indiretamente, todas as secretarias estaduais, a sociedade civil, a mídia e as universidades existentes no entorno. “A meta é elaborar um diagnóstico da região, alinhar a realidade local com ações pontuais, eliminar gargalos imediatos e transformar”, pontua.
No próximo dia 26, haverá uma nova reunião, mas desta vez com os chefes do Executivo de cada cidade. O projeto deve ser inaugurado e iniciado no dia 2 de fevereiro.

Veja também