Ex-jogador de basquete se dedica à saúde dos atletas

Minucí é o homenageado da Semepp no especial Memória Esportiva desta quarta-feira

Esportes - OSLAINE SILVA

Data 10/06/2020
Horário 07:32
Cedida - Jogador participou de vários Jogos Regionais e Abertos, entre outros Foto: Cedida - Jogador participou de vários Jogos Regionais e Abertos, entre outros

Hoje, o destaque especial de homenagens da Semepp (Secretaria Municipal de Esportes de Presidente Prudente), no Memória Esportiva, é o ex-jogador de basquetebol da extinta Amepp (Autarquia Municipal de Esportes), o fisioterapeuta e funcionário de carreira da pasta, Luiz Eduardo Kuhn Minuci, 55 anos. Após conquistas importantes nas quadras, o educador físico - que é formado em Fisioterapia - passou a se dedicar mais à saúde dos atletas e atualmente tem auxiliado com sua experiência de trabalho no fortalecimento do basquete e handebol.

“Cuidar, reabilitar, preparar um atleta para o retorno ao esporte é imensamente gratificante. Atender aos que assim como eu defendem a cidade e ainda poder auxiliar os projetos de handebol é maravilhoso. O esporte nos dá amigos, grandes companheiros. Nele aprendemos o significado do trabalho em equipe, a preparar-se, traçar metas, alcançar os objetivos, respeitar regras, ter ética e muito mais”, destaca o ex-jogador, que hoje é também um diretor administrador na área de fisioterapia.

Sua carreira no basquetebol teve início em 1977 encerrando no ano de 2012. Foram 35 anos representando a cidade, jogando basquete. Além da modalidade também jogou biribol em algumas edições dos Jogos Regionais, pela cidade. 

“O basquetebol sempre foi meu esporte preferido, aliás, é paixão de família. Tenho um irmão, o Fernando, que jogou por muitos anos em Franca e na seleção onde conquistou vários títulos. Uma curiosidade, acredito que fui o atleta mais novo em  defender a equipe de basquete adulta da cidade, aos 15 anos, em 80, e o mais velho aos 46 anos, em 2011”, recorda Minuci.

Um fato marcante nos pensamentos de Minuci foi a abertura dos Jogos Abertos de Prudente em 80. “Parecíamos estar em outro país. Uma organização impecável. Se fosse hoje, ainda seria uma referência. É maravilhoso lembrar desse campeonato. Mas, muito triste, pois o esporte nacional pouco ou nada mudou”, explana o ex-jogador de basquete, esposo de Carolina Minuci, com quem tem duas filhas: Luiza e Marília. 

Foto: Cedida

Minucci destaca as amizades como uma das maiores conquistas

 

 

 

Veja também