Excesso de gordura: o fator X

Jair Rodrigues Garcia Júnior

Em muitos casos o problema é evidente e não há dificuldade em identificá-lo. Um destes casos é o excesso de gordura. Basta olhar, pesar ou calcular o IMC (índice de massa corporal). Porém, saber do problema nem sempre é suficiente para resolvê-lo ou tratá-lo. Antes da busca pela solução, a pergunta a ser feita é: qual é a causa?                

Causas ilusórias

Os vilões da vez para o excesso de gordura e outras doenças são o glúten, a lactose, a sacarose e a frutose. Por isso, farinha de trigo, leite e qualquer alimento contendo açúcar (mesmo 10g = 40 Kcal) são “perigosos e proibidos”. Eleger como causas do excesso de gordura esses “gnomos da floresta” que não fazem mal a ninguém, não passa de criatividade de leigos.

Genética

Sim, há genes da obesidade. Todos nós os temos, mas em algumas pessoas eles são mais ativos na produção de proteínas (enzimas e hormônios) que promovem acúmulo de gordura. Nestes casos, se o ambiente for obesogênico - oferece condições para o consumo excessivo e o baixo gasto de energia - esses genes cumprem de forma eficiente sua função. Felizmente, as pessoas propensas à obesidade genética são minoria.

Distúrbios emocionais

A Psicologia e a neurofisiologia podem explicar como os fatores emocionais podem alterar o comportamento alimentar. Ansiedade, baixa autoestima, sentimento de rejeição, depreciação da própria imagem corporal e outras condições negativas, muitas vezes são “compensadas” pelo prazer de um bom prato e doces, ou simplesmente geram a compulsão alimentar.  

Excesso de alimentos

Sim, temos a tendência sócio-cultural de comer em excesso. Fazemos isso de diversas formas: 1) servimos o prato com excesso, 2) servimos o primeiro prato com quantidade suficiente e repetimos em seguida, 3) consumimos refeição suficiente, mas atacamos a sobremesa, 4) privilegiamos a palatabilidade e deixamos de lado a qualidade nutritiva da refeição – sabe aquele combo de super-lanche, batata frita, refrigerante e sobremesa? E o excesso vai se acumulando.

Falta de exercícios

O gasto corriqueiro da maioria das pessoas é suplantado pelo consumo excessivo. São 8h dormindo, 8h trabalhando sentado, 2h em refeições sentado, 4-5h em atividades passivas (TV, smartphone, etc), 1-2h em veículos e caminhadas curtas. Alguém se identifica? Mesmo quem treina 1h de musculação, natação ou corrida nem sempre consegue obter o equilíbrio energético que garante a manutenção do peso corporal.

Na matemática o X é a incógnita. Qual é afinal o “fator X” do seu excesso de gordura? Qual é a causa principal ou quais são aquelas que mais contribuem para o acúmulo de gordura? O melhor profissional para te ajudar é aquele que acerta nesse diagnóstico, independentemente da especialidade.

 

Qual é afinal o “fator X” do seu excesso de gordura?

Veja também